Carnaval sem água

Carnaval sem água

postado em 27/02/2017 00:00


As medidas tomadas para conter o consumo no Rio Descoberto começam a surtir efeitos. Em seis meses, a economia foi de 25% no reservatório por onde começou o rodízio ; o suficiente para abastecer 500 mil pessoas diariamente. Entretanto, o nível continua preocupante. Atualmente, ele está em 38%, enquanto na mesma época do ano passado, registrava 85%. O Santa Maria/Torto economizou o suficiente para abastecer mais de 200 mil pessoas, mas a recuperação desse sistema está mais lenta. Assim, embora o reservatório tenha mantido índices maiores de volume durante a crise, ele está com dificuldades de recuperação. Por isso, tornou-se o foco das ações e, com o racionamento, espera-se diminuição de mais 12% no consumo.

Hoje, Lago Norte, Varjão e condomínios do Jardim Botânico serão os primeiros abastecidos pelo Santa Maria/Torto a sofrerem com o corte. Amanhã, será a vez da Asa Norte e do Noroeste. Na Asa Norte, os foliões são a principal preocupação. Pelo menos cinco blocos estão agendados no mesmo dia do racionamento: Pacotão, Calango Careca, Bloco Espírita Celta e Ventoinha na Tesourinha.

Quem não tem caixa d;água está preocupado com os prejuízos. A cabeleireira Bianca Cruz, 38, vai fechar o salão no Varjão. O estabelecimento recebe água direto da rua. Para ela, não tem como estocar água, pois não sabe a quantidade necessária para um dia de trabalho. ;O número de atendimento varia muito, dependendo do dia. Não tem como atender sem água, como vou lavar o cabelo das clientes, fazer unha, limpar as coisas?;, contou.

Colaboraram Priscilla Miranda, estagiária sob a supervisão de Sibele Negromonte e Gabriella Bertoni, especial para o Correio

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação