Senado investiga genro

Senado investiga genro

postado em 28/03/2017 00:00
 (foto: Nicholas Kamm/AFP - 16/2/17)
(foto: Nicholas Kamm/AFP - 16/2/17)



A crise envolvendo a estranha relação entre o governo da Rússia e o presidente Donald Trump parece ter chegado definitivamente à Casa Branca. Jared Kushner, 36 anos, genro do magnata republicano, vai depor perante a Comissão de Inteligência do Senado dos Estados Unidos, como parte da investigação sobre a interferência do Kremlin nas eleições presidenciais de novembro. Kushner, colaborador próximo do presidente, teve um papel de intermediário na relação com vários países durante a campanha de Trump, bem como depois de sua vitória, em 8 de novembro passado. Ele facilitou a organização de reuniões entre o sogro e o primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, e com o presidente do México, Enrique Peña Nieto.

No entanto, foi pelos contatos com as autoridades russas que o Senado pretende interrogá-lo. ;Ao longo da campanha e da transição, Jared Kushner foi o contato oficial com funcionários de governos estrangeiros;, indicou uma fonte, sob a condição de anonimato. O jornal The Washington Post divulgou que Trump confiou a Kushner, casado com Ivanka, a tarefa de liderar um novo escritório na Casa Branca, com o qual deseja conciliar a ação do governo com ideias oriundas do mundo dos negócios.

Frente ao Escritório da Casa Branca para a Inovação Americana, Kushner terá a autoridade para contornar a burocracia para implementar promessas de Trump, como o apoio aos veteranos de guerra ou o combate à dependência de opiáceos. ;Prometi aos americanos que alcançaria resultados, e que aplicaria ao governo a minha mentalidade de antecipar a agenda, dentro do orçamento;, afirmou Trump, citado pelo jornal. ;Todos os americanos, à margem de suas opiniões políticas, podem reconhecer que o estancamento de nosso governo nos impediu de funcionar adequadamente;, acrescentou.

A equipe de Kushner será composta de ex-diretores do setor privado, com foco na inovação, e atuará dentro da Ala Oeste da Casa Branca. ;O governo deveria funcionar como uma grande empresa americana. Esperamos agir com sucesso e eficiência para os nossos clientes, que são os cidadãos;, declarou Kushner. Os setores de tecnologia e de dados estarão no centro desta nova unidade, e a Casa Branca vem trabalhando com referências do setor, como o CEO da Apple, Tim Cook, e o fundador da Microsoft, Bill Gates.



Presença em Berlim

No próximo mês, a filha do presidente americano, Ivanka Trump, participará em Berlim da terceira edição do Women 20, reunião focada no papel da mulher no âmbito trabalhista. O encontro é parte das atividades ligadas ao G20, presidido pela Alemanha, que tem o objetivo de analisar a igualdade salarial, o papel das mulheres líderes e a contribuição delas na criação de empresas. Durante a visita recente de Angela Merkel à Casa Branca, Ivanka se sentou à direita da chanceler alemã durante um encontro com líderes empresariais.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação