Padre Neimar é o dono da bola

Padre Neimar é o dono da bola

Xará do astro do Barcelona, religioso disputa a Clericus Cup, em Roma, assim como outros sacerdotes e seminaristas do Brasil

Victor Gammaro*
postado em 28/03/2017 00:00
 (foto: Reprodução/Facebook)
(foto: Reprodução/Facebook)




Futebol e religião, vez por outra, caminham lado a lado. Atualmente, a relação começa por jogadores cada vez mais fiéis e chega à paixão pelo esporte do líder da Igreja Católica ; o papa Francisco torce pelo San Lorenzo-ARG. Em Roma, capital do catolicismo, o vínculo é ainda mais forte: sacerdotes e seminaristas disputam a Clericus Cup. O torneio, que está na 11; edição, reúne 18 equipes.

O Brasil está representado na competição. Além disso, o time verde-amarelo já tem candidato a estrela: o padre Neimar, xará, com ;i;, do maior craque do futebol do país atualmente.

O padre dribla as comparações com o astro do Barcelona. Diz que prefere atuar em outra posição. ;Eu sou volante, o camisa 5. Sou jogador mais de marcação. Só busco inspiração no xará mais novo quando vou cobrar faltas;, afirma, em entrevista ao Correio.

Mesmo sem jogar no ataque, o clérigo rasga elogios ao craque. ;Ele é muito talentoso, veloz, dedicado, focado, disciplinado; É um histórico de vitórias a cada dia;, enaltece Neimar.

Os padres brasileiros estão honrando a tradição do país dentro das quatro linhas. Até aqui, foram cinco jogos: três vitórias no tempo normal, uma nos pênaltis e um empate diante do atual campeão, o Colégio Internacional Maria Mater Ecclesiae, que conta com religiosos de 11 países.

Goleiro do Pio Brasileiro ; nome do esquadrão verde-amarelo ;, o padre Carlos Gomes está sendo chamado de ;São Carlos; pelo time, depois de se tornar o herói do triunfo sobre o Vaticano-Anselmiano na disputa por pênaltis. Não é por acaso: antes de assumir a batina, ele suava a camisa pelo Goiás, onde treinava no time profissional.

Até esta edição, a melhor campanha do Brasil na Clericus Cup foi em 2010, com um terceiro lugar. Desta vez, tendo em vista a publicidade em torno do ;Neymar do Vaticano;, como está sendo chamado o padre brasileiro na imprensa italiana, o time passou de uma equipe fraca e despercebida para uma das mais temidas do torneio.

O organizador da competição é o Centro Desportivo Italiano, que enxerga o esporte como ;uma ferramenta de desenvolvimento humano e social, buscando um retorno completo quando o assunto é integração das paróquias;.

Homenagem à Chape
Uma das equipes do torneio resolveu homenagear os 71 mortos no acidente com o avião da Chapecoense, em novembro de 2016. O Chape Cusmano Belga, que conta com o sacerdote brasileiro Adenis de Oliveira, escolheu as cores do Verdão do Oeste para disputar a competição.

O time que resolveu prestar honras aos catarinenses, no entanto, não se saiu bem no torneio. Na estreia, perdeu para o Pio Brasileiro. Depois, amargou mais uma derrota, dessa vez para o Maria Mater Ecclesiae. Com os resultados, dificilmente vai se classificar para a próxima fase do torneio, que termina em 27 de maio.

*Estagiário sob a supervisão de Cida Barbosa





Estudos na capital italiana
O motivo de os sacerdotes brasileiros estarem em Roma não é o futebol. Eles foram à capital italiana para estudar. Neimar, por exemplo, faz mestrado em missiologia, na Pontifícia Universidade Gregoriana.





Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação