Tubo de ensaio

Tubo de ensaio

Fatos científicos da semana

postado em 01/04/2017 00:00
 (foto: Queensland University/Divulgação)
(foto: Queensland University/Divulgação)

Segunda-feira, 27
Parque dos dinossauros
Cientistas da Universidade de Queensland identificaram 150 pegadas de 21 espécies de dinossauros na Austrália. As marcas (foto) foram deixadas por animais das classes dos sauropsidas e dos gliptodontes, além de espécies predadoras. Algumas das pegadas dos saurópodes têm 1,7m de comprimento. Os registros encontram-se em uma zona rochosa, que tem entre 127 e 140 milhões de anos de antiguidade, situada em Walmadany, uma região do estado da Austrália Ocidental que contém milhares de marcas de dinossauros e foi incluída no Patrimônio Nacional da Austrália em 2011.


Terça-feira, 28
Vespas pop
Quinze novas espécies de vespas foram descritas na região neotropical, que engloba o sul do México, o sul da Flórida, a Baixa Califórnia, as ilhas do Caribe e toda a América do Sul. Entre elas, algumas homenageiam a série de TV Star Trek e o livro O príncipe e o mendigo, do escritor Mark Twain. Uma das vespas (foto) foi chamada de PPhanuromyia odo, por causa do personagem Odo, do seriado que se passa no espaço. Em Star Trek, Odo é um alienígena que se metamorfoseia. A razão da vespa ter recebido seu nome é que ela também é capaz de mudar de aparência ; os cientistas chegaram a pensar que se tratava de duas espécies diferentes.

Quarta-feira, 29
Fruta aumentou o cérebro
Estudo da Universidade de Nova York aponta a fruta como uma das partes mais essenciais para a evolução humana. De acordo com os cientistas, tanto os primatas não humanos quanto os humanos desenvolveram o cérebro de acordo com a quantidade de frutas ingeridas. Depois de estudar mais de 140 espécies de primatas, eles concluíram que os frugívoros têm cérebros maiores que aqueles que se alimentam só de folhas. De forma menos expressiva, os omnívoros têm cérebro maior que os folívoros (como os pandas). O trabalho, publicado na revista Nature Communications, sugere que os cérebros aumentaram de tamanho porque evoluíram de forma que os animais conseguissem se lembrar de quais os locais com mais frutas ou que fossem capazes de inventar novas formas de tirar a casca mais resistente.

Homem biônico
Um homem de 56 anos, paralisado abaixo dos ombros depois de um acidente de bicicleta, é a primeira pessoa com tetraplegia em todo o mundo a ter os movimentos restaurados com a ajuda de dois implantes temporários, que se baseiam na tecnologia de interface cérebro-máquina. A tecnologia é composta por eletrodos implantados no crânio e ligados a um sistema de estimulação elétrica funcional (EEF), que reconecta o cérebro aos músculos paralisados. Quando o paciente imagina um movimento, essa intenção é captada pelos eletrodos, que enviam o sinal à máquina. Por sua vez, o EEF manda estímulos aos músculos, para que se movam.

Quinta-feira, 30
Neandertal artista
Uma peça óssea decorada com 1,5cm e datando de 40 mil anos sugere que os homens de Neandertal tinham senso estético, afirmaram pesquisadores franceses na revista Plos One. O fragmento do esqueleto de um corvo, encontrado na Ucrânia, aparentemente foi gravado com linhas intencionalmente com finalidades simbólicas ou decorativas. Uma análise microscópica mostrou que o autor das marcas adicionou inicialmente seis sulcos na peça e, mais tarde, outros dois. Ele teria percebido que tinha deixado muito espaço entre algumas das primeiras marcas e acrescentado outras duas depois, de modo que a distância entre todos os cortes ficasse igual, disseram os cientistas da Universidade de Bordeaux. O homem de Neandertal viveu há aproximadamente 200 mil anos, e seus últimos rastros remontam de cerca de 38 mil anos atrás. Os humanos modernos herdaram entre 2% e 4% dos seus genes.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação