Decisão mais"%u201Cgrave" da história do TSE

Decisão mais"%u201Cgrave" da história do TSE

postado em 08/04/2017 00:00
A decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sobre o pedido de cassação da chapa Dilma-Temer será a mais ;grave; da história da Corte, avaliou ontem o presidente da instituição, Gilmar Mendes, em palestra no Massachusetts Institute of Technology (MIT), em Cambridge, nos Estados Unidos. Gilmar espera que o julgamento seja retomado em maio.

;O tribunal terá de ter noção de suas responsabilidades;, afirmou. Além do potencial impacto da decisão, o caso é importante por revelar como foram financiadas as campanhas eleitorais no Brasil, em especial a de 2014, disse Gilmar. O ministro não quis estimar um prazo para conclusão do julgamento.

Relator do caso no TSE, o ministro Herman Benjamin marcou para o dia 17 deste mês os depoimentos do marqueteiro João Santana, da empresária Mônica Moura e de André Santana, funcionário do casal. O pedido para que eles fossem ouvidos pelo TSE veio do vice-procurador-geral eleitoral, Nicolao Dino.

O marqueteiro foi responsável pelas campanhas de Dilma à Presidência, em 2010 e 2014. Os depoimentos vão ocorrer no Tribunal Regional Eleitoral da Bahia (TRE-BA). Até agora, já foram ouvidas 52 testemunhas, entre elas 10 ex-executivos da Odebrecht.

Os depoimentos de ex-diretores da Odebrecht mostram que as delações premiadas de João Santana e Mônica Moura devem revelar detalhes do caixa dois em campanhas no Brasil e no exterior, realizadas de 2008 a 2014.

Em fevereiro, João Santana e Mônica Moura foram condenados pelo juiz federal Sérgio Moro por crime de lavagem de dinheiro no esquema de corrupção instalado na Petrobras. Ambos foram condenados a oito anos e quatro meses de prisão.

52
Quantidade de testemunhas que foram ouvidas no processo contra a chapa Dilma-Temer no TSE

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação