Hoje é dia de feira (orgânica)

Hoje é dia de feira (orgânica)

Entre 2012 e 2015, o consumo de agrotóxicos no DF caiu 37%. Nessa onda do vegetarianismo e do veganismo, feira expõe produtos naturais que vão além do alimento

» GABRIELLA BERTONI Especial para o Correio
postado em 08/04/2017 00:00
 (foto: Minervino Junior/CB/D.A Press)
(foto: Minervino Junior/CB/D.A Press)




Se você pensa que vegetarianos e veganos não contam com opção de restaurantes, lanchonetes e vestuário ecologicamente corretos, está enganado. Cada vez mais pessoas têm se preocupado com a saúde e melhorado o estilo de vida. O consumo de agrotóxico no Distrito Federal caiu de 1.783 para 1.120 toneladas ; uma redução de 37% entre 2012 e 2015, segundo dados mais recentes da Secretaria de Agricultura, Abastecimento e Desenvolvimento Rural. E, assim, o número de feirinhas orgânicas com produtos que vão além dos vegetais só crescem na cidade. O Brasil, porém, ainda lidera o ranking mundial em consumo de produtos químicos para agricultores.

Em pesquisa realizada pelo Ibope em 2012, 8% da população brasileira se declarou vegetariana, ou seja, não come carne, mas continua consumindo produtos de origem animal, como ovos e laticínios. Ainda não há pesquisa sobre o número de pessoas veganas ; que não consomem nenhum tipo de produto de origem animal, incluindo o couro em roupas e acessórios.

Foi pensando em uma melhor qualidade de vida que a empresária Cynara Arnt criou a marca Vegan-se. Ela, que é vegana há 10 anos, estava cansada de ir a restaurantes e não encontrar opções saborosas. Há quatro anos instalada na Asa Norte, o carro-chefe da loja é o almoço vegetariano e vegano delivery. A marca participa da Expo Bio Planet, feira de produtos naturais que ocorre até domingo. Responsável pelo estande com lanches veganos, como coxinha de jaca, quibe de tofu e empadinha de palmito, Gustavo Munhoz, 22 anos, sobrinho de Cynara, conta que o movimento no restaurante aumentou. ;Depois do escândalo com as carnes, a loja vive cheia. Estamos vendo uma oportunidade de mercado e está dando certo.;

Enquanto Gustavo contava a história, um senhor pediu dois quibes e duas coxinhas. Vegetariano há 35 anos, o aposentado Joaquim Rodrigues, 62, conta que o recheio de jaca lembra frango e que o quibe tem sabor de ricota. ;Aprendi que a natureza nos dá tudo o que precisamos. Não temos que nos alimentar de animais, que também são seres sagrados.; Esposa de Joaquim, a dona de casa Nairza Barbosa, 54, diz que faz qualquer tipo de prato usando proteína de soja, milho, ervilha e outros produtos naturais. ;Sou vegetariana há 15 anos. Eu me sinto bem mais leve, é muita qualidade de vida;, frisou.

Enquanto montava hortas em projetos sociais e recebia inúmeros pedidos de ajuda de pessoas que queriam cultivar o próprio alimento, o empresário Juarez Martins, 56, decidiu transformar o hobby em negócio. Hoje, a Horta Linda tem uma lojinha virtual, na qual é possível comprar mudas e acessórios para montar uma horta em qualquer lugar ; apartamento, casa, escola e chácara. ;Além de vender o que é necessário para montar a horta, como terra e sementes, nós montamos os projetos para os espaços. Um dos idealizados por nós é a horta autoirrigável, que consegue ficar até 10 dias sem precisar molhar.; A marca faz ainda projetos sociais em grandes eventos e em escolas.

Vindo de São Paulo para mostrar seu produto no quadradinho, o casal de vegetarianos Beth Amante e Dino Demartini construiu a marca Kerai. ;Como somos designers de roupa, decidimos produzir materiais sustentáveis. Assim, criamos sapatilhas e mochilas de materiais reciclados com uma pegada urbana;. Dino contou ainda que, no começo, vendia de 50 a 100 produtos por mês, hoje são 500 vendas.


Programe-se

Expo Bio Planet

Quando: até domingo
Local: Pátio Brasil Shopping
Horário: hoje, das 10h às 21,
e amanhã, das 12h às 19h. Entrada Franca


Conheça a origem

; Como saber se o produto é orgânico?

Em vigor desde 2003, a Lei n; 10.831 determina os mecanismos de avaliação da qualidade orgânica dos alimentos. Hoje, o que garante que o produto foi processado e embalado de acordo com a legislação é um selo do Sistema Brasileiro de Avaliação da Conformidade Orgânica. O produtor consegue o selo ao receber um certificado do Ministério da Agricultura, garantindo que o produto está livre de adubos químicos, agrotóxicos, antibióticos, insumos geneticamente modificados, hormônios, qualquer aditivo sintético ou radiação.

; Como saber se o produto é vegano?

Primeiramente, é necessário pesquisar a conduta da empresa produtora, que não pode fazer testes em animais. O produto pode também receber selos, como a certificação internacional Ecocert, a Certified Vegan e o selo Certificado SVB Vegano, emitido pela Sociedade Vegetariana Brasileira.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação