Brasília: do sonho da Fórmula Indy ao autódromo interditado

Brasília: do sonho da Fórmula Indy ao autódromo interditado

postado em 15/04/2017 00:00
 (foto: Gabriel Jabur/Agência Brasília)
(foto: Gabriel Jabur/Agência Brasília)

As obras do Autódromo Internacional Nelson Piquet começaram em dezembro de 2014 e deveriam ficar prontas a tempo de receber uma etapa da Fórmula Indy, no ano seguinte. Porém, o Tribunal de Contas do Distrito Federal (TCDF) determinou a interrupção das intervenções após técnicos do órgão constatarem sobrepreço de R$ 35 milhões. Pelo contrato, a reforma para a Fórmula Indy custaria R$ 251 milhões.


Os trabalhos não foram retomados desde então. Além do cancelamento da etapa da Indy, a capital perdeu todas as etapas da Stock Car, da Fórmula Truck e do Campeonato Brasileiro de Marcas desde 2015, além de outras competições menores. Em janeiro, o GDF retomou a concorrência pública para terminar a reforma da pista do autódromo, que está 40% concluída. Os trabalho incluem asfalto, sistema de drenagem, sinalização e elementos de segurança. O orçamento é de R$ 15 milhões, segundo a Terracap.


A obra será executada pela Novacap, que ainda aguarda a finalização do processo licitatório. Assim, é impossível que o autódromo fique pronto a tempo para receber alguma prova importante nos próximos meses. ;É torcer para ficar pronto. A pista é muito boa, bem localizada, no centro da cidade. Temos estrutura, só precisamos ter um autódromo bom e alguém que acredite nisso;, pede Guga Lima.


Por causa do cenário de abandono, Lucas Foresti teve de se mudar para seguir com os treinamentos. ;Goiânia virou minha casa para treinos e tudo, mas estou sempre com aquela esperança de voltar. Quando começa a temporada vem aquela pergunta: ;Será que neste ano teremos o autódromo?;;, questiona Foresti. Só resta torcer ; e cobrar.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação