MPF denuncia dirigentes por organização criminosa

MPF denuncia dirigentes por organização criminosa

postado em 19/04/2017 00:00




O Ministério Público Federal em São Paulo denunciou ontem o ex-presidente da Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos (CBDA) Coaracy Nunes e três diretores da entidade ; Sérgio Alvarenga, Ricardo de Moura e Ricardo Cabral ; por formação de organização criminosa para desviar recursos dos esportes aquáticos. É a primeira denúncia criminal da Operação Águas Claras.

Os dirigentes, que estão presos preventivamente, respondem por organização criminosa, peculato, licitação fraudulenta e falsidade ideológica de documento público. Também foram denunciados os empresários José Nilton Cabral da Rocha, Haller Ramos de Freitas, Monica Pereira da Silva Ramos e Keila Delfini Santos da Silva.

De acordo com o MPF, os oito denunciados fraudaram licitação para aquisição de equipamentos esportivos, utilizaram documentos ideologicamente falsos e desviaram R$ 1,26 milhão de repasse do Ministério do Esporte por meio do convênio.

Além disso, o ex-presidente recebeu R$ 1,558 milhão de verba pública para compra de equipamentos aquáticos para os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro. Essa aquisição deveria ser feita por licitação, mas o MPF apontou a participação de parentes.

O advogado do ex-presidente da CBDA, Marcelo Franklin, não foi encontrado para apresentar o posicionamento da defesa sobre a denúncia.



8
Número de denunciados




Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação