Corrupção

Corrupção

postado em 25/04/2017 00:00
O deputado Miro Teixeira, em longa entrevista ao Correio ( 24/4, pág. 3), defende que os crimes de corrupção sejam julgados pelo Tribunal do Júri. O parlamentar não conhece a tramitação processual. Se os crimes de corrupção passarem para esse tribunal ninguém mais será condenado. Hoje, os processos de crimes contra a vida, que são de competência desse tribunal, (aborto, infanticídio, auxilio ao suicídio e homicídio doloso), se eternizam. Muitos são os recursos. Na primeira fase há a denúncia, com base no Inquérito Policial, que vai até a pronúncia; sendo repetidos, em juízo (nesse período) todos os depoimentos prestados à Polícia e até outras investigações. A pronúncia não é condenação. Apenas o juiz singular entende que há provas suficientes da acusação e manda o acusado para ser julgado pelo Tribunal do Júri. Se não houver recurso (o que sempre há), há o julgamento pelos jurados.Também nessa segunda fase, novamente se ouve as testemunhas e o acusado. Depois de longas horas de debates vem a sentença lavrada pelo juiz de Direito (presidente do Tribunal), com base no que decidiram os jurados. A tese do deputado é benéfica para os corruptos e corruptores: é a defesa por outros meios.
; José Lineu de Freitas
Asa Sul


Abusos

O verdadeiro abuso de autoridade não é quando a Justiça persegue criminoso do colarinho branco e, sim, quando o solta por falta de provas. Por acaso algum criminoso dá recibo de propina Acorda, Brasil!
; Sylvana Machado Ribeiro,
Lago Sul


; Gostaria de relembrar ao senador Roberto Requião, relator do PLS sobre o abuso de autoridade, aquilo que ele pregava desde que foi prefeito de Curitiba: ;Que a gente mata o animal peçonhento por medo!” Hoje, os maiores animais peçonhentos da nação estão no Senado Federal, e não no transporte público de Curitiba. Quem sabe se seu pensamento ameaçador aos concessionários de transporte público de Curitiba não poderá ser posto em prática no Senado Federal.
; Cauby Pinheiro Júnior,
Águas Claras

Tragédia

Álcool e direção: tragédia nas ruas de Brasília. Direção e corrupção: calamidade no governo do Brasil. Tragédia nas ruas, consequência da irresponsabilidade dos motoristas que não respeitam as leis de trânsito, e calamidade no Brasil, fruto da falta de vergonha e de caráter dos governantes que só trabalham à procura de furos na rede para escaparem do cerco da Lava-Jato.
; Elizio Nilo Caliman,
Lago Norte


Previdência

Cadê o resultado da força tarefa do Tribunal de Contas da União (TCU), que o Correio divulgou há cerca de um mês, encarregada de levantar todas as causas, todos os devedores e todas as soluções a serem propostas ao relatório da PEC da Previdência? Cadê? O povo merece saber.
; Lúcia Bucar,
Park Way


Joãos

A excelente edição de domingo do Correio Braziliense destaca João de Deus e João Dória. O primeiro é um ser divino que Deus mandou para a terra. O outro é político e administrador talentoso e articulado que sonha com voos mais altos no cenário nacional. Tolice e falta de visão subestimá-lo.
; Vicente Limongi Netto,
Lago Norte


Água

Muito sério e preocupante o alto consumo de água potável no DF. Pelo menos o governo local decidiu suspender a expansão de cidades e as autorizações para edifícios residenciais que se alastram em todo o DF. Entendo que o Executivo tem de se preocupar com o crescimento desenfreado, que provocou um aumento muito acima do planejado por JK, o fundador. Se nada for feito, logo, não haverá Corumbá que supostamente consiga abastecer Brasília. Aí, para salvar a capital Federal só a Bacia Amazônica.
; José Bonifácio R.Sousa,
Cruzeiro Novo.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação