Mobilização contra a gripe

Mobilização contra a gripe

Mais de 100 postos estão com os estoques cheios para imunizar a população. Procura pela vacina ainda é considerada baixa

OTÁVIO AUGUSTO
postado em 25/04/2017 00:00
 (foto: Arthur Menescal/Esp. CB/D.A Press
)
(foto: Arthur Menescal/Esp. CB/D.A Press )

Em menos de 15 segundos após entrar na sala de vacinação, o paciente fica imunizado contra gripe. Apesar de ser um processo rápido, em alguns locais, houve filas, e a espera chegou a uma hora. Logo nos primeiros momentos da manhã, centenas de idosos, gestantes, doentes crônicos e mães com crianças de até 5 anos se aglomeraram nos postos de saúde para o primeiro dia da campanha. Professores e profissionais da saúde se vacinaram na semana passada, mas não atingiram a meta. Apenas 9% do grupo esperado se vacinou. Dos 125.115 aguardados, apenas 11.090 compareceram aos postos.

Mais de 100 postos de saúde estão abastecidos com 210 mil doses ; devem chegar outras cinco remessas do insumo distribuído pelo Ministério da Saúde. Às 7h de ontem, técnicas de enfermagem preparavam os locais de imunização do Centro de Saúde n; 8, na 514 Sul. Lá, idosos e crianças ficaram separados. ;Vacinar é importante para o idoso e para a população. Dessa forma, a gente controla a circulação dos vírus;, destaca a pensionista Fátima Maria Ferreira Lopes, 75 anos.

O público-alvo da campanha deste ano é o maior registrado na capital federal. Cerca de 687 mil pessoas devem receber a vacina, 7% a mais do que no ano passado, quando 644 mil se imunizaram. Com o olhar atento, o auditor aposentado Ivarlindo Albuquerque Lopes, 74, acompanhava a situação. ;Sempre venho no começo da campanha para evitar filas ou falta de vacina;, explica. Essa é a 15; vez que ele participa da campanha. O militar reformado Jasiel Pereira da Silva, 71, concorda com o colega de fila: ;É melhor vir com calma e evitar problemas;.

Panorama

A maior preocupação das autoridades sanitárias é que a população deixe para o fim da campanha para se vacinar. ;A primeira semana sempre atrai muita gente, mas, ao longo da mobilização, a procura cai. Às vezes, nem mesmo no Dia D conseguimos atrair o público esperado;, pondera a coordenadora do Centro de Saúde n; 8, Jussara Coelho. Neste ano, o Dia D, data que concentra os esforços da mobilização, será em 13 de maio, véspera do Dia das Mães. No ano passado, 30% do público se imunizou nesse dia.

Não há risco de desabastecimento, segundo a Secretaria de Saúde. A diretora de Vigilância Epidemiológica, Heloísa da Silva Araújo, diz que o número de pessoas vacinadas é parcial e que deve subir nos próximos dias. ;As unidades vão enviar dados, e o panorama será atualizado ao longo da campanha, que vai até 26 de maio. Os pacientes devem se programar para se imunizar e evitar deixar para a última hora;, alerta.

Veja a lista com o endereço dos 104 locais de vacinação no DF no tablet e no site do CORREIO



Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação