Escolhas determinam preços

Escolhas determinam preços

postado em 30/04/2017 00:00

Recepcionar os convidados após a celebração é sempre uma preocupação para os noivos e uma ameaça para o orçamento. Se o casal decidir por alugar o local, o recomendado por Camila Piccini, CEO do Grupo Casar, é que seja um espaço que não precise de tantos elementos decorativos. ;Se o local já é bonito, acabam investindo menos em decoração e isso interfere no preço;, indica. A opção de usar a casa, o jardim ou o salão do prédio de um parente ou amigo deve sempre ser cogitada e pode representar uma grande economia.


A assessora Raquel Esteves, da Plim Assessoria em Eventos, explica que o convite ainda é muito tradicional, mas que há sites que oferecem layouts prontos para que os noivos. O bufê costuma ser o item mais caro do casamento e está relacionado com o número de pessoas que forem convidadas. Mas é possível fugir do tradicional jantar e optar por um coquetel ou fazer orçamento com cozinheiro para baratear. Só é preciso levar em conta que, caso feche com um cozinheiro, é necessário contratar serviços de louças e garçons a parte. Outra opção muito usada em tempos de crise é marcar a recepção em um restaurante da cidade e cada convidado pagar pelo próprio consumo.


Ter um bolo grande como em filmes pode ser caro também. De acordo com Raquel, a maquete é uma opção mais econômica. E os noivos podem, ainda, optar por ter uma mesa de doces. Para decorar, podem investir em flores da época, artificiais ou opções mais baratas, como a ;mosquitinho;. ;Usada em grande quantidade deixa o ambiente muito bonito, e não é tão caro quanto tulipas e orquídeas;, destaca.


A consultora da Plim lembra que ter recordações desse dia é muito importante. Ela recomenda que os noivos procurem um fotógrafo e tentem negociar pacotes. ;Se o casal não tem muito dinheiro, vale a pena abrir mão da filmagem completa ou de um álbum com material melhor. De qualquer forma, acho que vale a pena ter um fotógrafo e conhecer o trabalho dele antes;, avalia.


Colocar a mão na massa pode ajudar a baratear muitas coisas. A secretária Graciete Costa, 29 anos, e o noivo, Rómulo Carvalho, 29, pretendem oficializar a união em setembro e, como o orçamento é limitado, já estão cuidando de todos os detalhes da celebração. ;O mais importante para nós é casar na igreja e não nos endividarmos. Reduzimos os convidados para familiares e amigos muito próximos e vamos fazer tudo ao nosso alcance, parcelando tudo até o casamento;, conta.
Com tempo para se programar, Graciete está negociando fornecedores e começou a fazer as lembrancinhas, a decoração da mesa do bolo e os convites por conta própria. ;Na internet tem várias dicas legais, basta ter disposição e criatividade.

Compramos os materiais em um local popular e saiu quase três vezes mais barato do que cobram;, comemora.
Mira Melke, do blog Clube Noivas, frisa que, para economizar no casamento, tem que fugir do tradicional. ;Faça coisas que gosta, sirva comidas alternativas e mais simples, pesquise muito e não faça algo porque é tradição ou porque alguém fez. Fique no orçamento estabelecido;, ressalta. (MS)

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação