Conscientização é primordial

Conscientização é primordial

postado em 30/04/2017 00:00
 (foto: Antonio Cunha/CB/D.A Press - 30/1/17)
(foto: Antonio Cunha/CB/D.A Press - 30/1/17)

Uma das medidas mais importantes para a integração do transporte público é o estímulo ao uso da bicicleta como meio de transporte. Neste pensamento moderno, o promotor de defesa da ordem urbanística Dênio Moura critica a falta de integração das ciclovias. ;Existe uma recomendação do MP, cobrando esse sistema cicloviário, que é algo necessário para apoiar a integração intermodal de transporte público;, argumenta. ;As ciclovias e as faixas, inicialmente, não foram pensadas como um meio de locomoção para ir ao trabalho, por exemplo, mas como um meio de recreação, por isso a falta de ligação entre cidades. Então, além da integração, precisamos de modos atraentes para tornar a utilização das bicicletas como um real meio de locomoção, como por exemplo, criação de bicicletários internos em órgãos públicos e privados.;


Quem opta por pedalar para o trabalho ou, ao menos dentro das regiões administrativas, enfrenta dificuldades estruturais. Ciclovias que dão voltas e voltas sem chegar a lugar nenhum e trechos danificados empurram o ciclista para o asfalto, onde, muitas vezes, tem que enfrentar a falta de consciência de alguns motoristas. O estudante Vitor Coelho, 18 anos, conhece bem essa realidade. Ele sai de casa, em Samambaia Norte, e percorre cerca de 10km de bicicleta até o Parque Ecológico de Águas Claras. Para ir de uma cidade a outra, não tem alternativa senão pedalar no asfalto, disputando espaço com carros e ônibus. ;Com o tempo, estamos conquistando nosso lugar e ouvindo menos grosserias no trânsito, mas muitos carros ainda costumam passar rápido do nosso lado, sem respeito, deixando a preocupação apenas na nossa conta;, explica.


Também estudante, Victor Bessa, 20, optou pelo pedal para fugir do engarrafamento e ganhar tempo. Ele faz o trajeto do Ministério da Cultura, onde estagia, até a Rodoviária do Plano Piloto em uma bicicleta de sistema compartilhado. ;Para vir ao trabalho, faço o percurso direto de ônibus, mas, na volta, o trânsito é pesado, então vou de bike até a Rodoviária e de lá pego um ônibus para o Cruzeiro. É muito mais funcional;, explica.


Segundo o secretário da Secretaria de Mobilidade do DF, Fábio Damasceno, com a inclusão das bicicletas compartilhadas no sistema de integração do transporte público, haverá novas obras, dando ênfase para faixas que liguem cidades. ;Começaremos as obras por uma ciclofaixa na EPTG. No momento, o governo já liberou o recurso e o DRE está fazendo licitações para a obra, sem previsão de início;, promete.

* Estagiário sob supervisão de José Carlos Vieira

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação