Força Nacional reforçada no Rio

Força Nacional reforçada no Rio

Governo federal anuncia que enviará mais 100 homens da tropa para se juntar aos 125 policiais que se encontram no estado. Medida atende a um pedido feito pelo governador Luiz Fernando Pezão. PRF vai intensificar fiscalização na Dutra

postado em 04/05/2017 00:00
 (foto: José Lucena/Futura Press)
(foto: José Lucena/Futura Press)


O ministro da Justiça e Segurança Pública, Osmar Serraglio, anunciou ontem, após reunião com o presidente Michel Temer e ministros das áreas relacionadas à segurança pública, que o governo federal vai enviar mais 100 integrantes da Força Nacional para o Rio de Janeiro. O novo contingente vai se juntar a outros 125 policiais que já se encontram no estado. O reforço atende a um pedido do governador do Rio, Luiz Fernando Pezão (PMDB).

Nos últimos dias, uma guerra de quadrilhas no subúrbio da capital fluminense bloqueou avenidas, rodovias, provocando tiroteios. Nove ônibus e dois caminhões foram incendiados e saqueados. A polícia apreendeu 32 fuzis, seis pistolas e 10 granadas. O governo federal também vai enviar agentes da Polícia Rodoviária Federal (PRF) para reforçar a segurança na Rodovia Presidente Dutra, que liga o Rio a São Paulo, identificada por órgão de inteligência como rota de entrada de armamentos que abastecem facções criminosas. O secretário nacional de Segurança Pública, general Santos Cruz, vai hoje ao Rio para se reunir com as autoridades policiais do estado e avaliar o tamanho da ajuda federal que será necessária.

;Há uma preocupação do governo com os eventos no Rio de Janeiro, que motivaram uma participação mais incisiva e direta da Presidência da República, ainda que a segurança seja uma atividade primordialmente dos estados;, afirmou o ministro. Serraglio lembrou que a questão de violência no Rio de Janeiro é histórica e não pode ser resolvida de imediato, mas é imperativo garantir o bem-estar à população, aumentar a sensação de segurança. ;Neste momento, claramente o Rio precisa dessa mão amiga que o presidente (Temer) está estendendo;, disse o ministro

O secretário-executivo do Ministério da Justiça e Segurança Pública, José Levi Junior, complementou que a União não será omissa nas questões de segurança pública. ;Vamos apoiar cada estado conforme sua necessidade e contexto;, afirmou.

Sobre o avanço do crime organizado e de suas ações em diversos pontos do país, ele disse que a atuação do governo será integrada. ;A União se coloca ao lado dos estados para ter uma atuação mais ampla e abrangente e fazer frente a um problema que não é local nem regional, mas nacional e até transnacional;, afirmou.

Cidade Alta

As polícias Civil e Militar do Rio de Janeiro conseguiram evitar ;cinco ou seis; invasões à Cidade Alta, na zona norte da capital fluminense, do fim do ano passado para cá, disse o diretor de Polícia Especializada, Marcelo Martins. O delegado afirmou que o setor de Inteligência recebeu informações sobre a movimentação de traficantes que queriam retomar os pontos de venda de drogas na comunidade nessas ocasiões e as repassou para o Estado-Maior da Polícia Militar. Foram, então, desencadeadas operações, de madrugada, para coibir as ações planejadas pelos criminosos.

A favela foi invadida na noite de segunda-feira por integrantes do Comando Vermelho (CV), que tentavam retomar do Terceiro Comando Puro (TCP) o controle da Cidade Alta. Houve intensa troca de tiros entre os criminosos e, na terça-feira, o Batalhão de Operações Especiais (Bope) e o Choque intervieram. Os traficantes, então, determinaram uma série de ataques a veículos, interromperam o tráfego nas vias. Quarenta e cinco pessoas foram presas e 32 fuzis, apreendidos.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação