Trump recebe líder palestino

Trump recebe líder palestino

postado em 04/05/2017 00:00
 (foto: Mandel Ngan/AFP)
(foto: Mandel Ngan/AFP)



Depois de receber na Casa Branca o presidente da Autoridade Palestina (AP), Mahmud Abbas, Donald Trump se disse convencido de que será possível alcançar um acordo duradouro no Oriente Médio. ;Desejamos construir a paz entre Israel e os palestinos e a alcançaremos;, disse o presidente dos Estados Unidos, ponderando que um acerto entre as partes ;não pode ser imposto pelos EUA, ou por qualquer outra nação;. Abbas, de sua parte, insistiu em que ;chegou a hora de Israel colocar fim à ocupação; do território palestino da Cisjordânia.

;Sob sua liderança e sua corajosa gestão, além de sua sabedoria e de sua grande habilidade negociadora, acredito que, com a graça de Deus e com seus esforços, possamos ser sócios verdadeiros para alcançar um histórico acordo de paz;, disse o presidente da AP. Em resposta, Trump assegurou que deseja ;apoiá-lo para que seja o líder palestino a assinar um acordo de paz definitivo e, mais importante, que traga segurança, estabilidade e prosperidade aos dois povos e para a região;. O líder americano afirmou que ;gostaria de ser um mediador, um árbitro, ou um facilitador; da paz.

Além do relançamento das negociações bilaterais, congeladas há mais de cinco anos, o encontro tinha na agenda discussões sobre relações bilaterais entre os EUA e a AP. Entre os temas para cooperação estavam inciativas voltadas para a segurança regional, políticas comuns de combate ao terrorismo e ações destinadas à geração de empregos nos territórios palestinos.

A visita de Abbas à Casa Branca ocorreu pouco mais de dois meses depois de Trump ter recebido o primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu. No encontro com o principal aliado no Oriente Médio, o presidente americano gerou uma onda global de reações ao se afastar da tradicional posição de apoiar a solução de dois Estados ; o israelense e o palestino ;para pôr fim ao conflito. ;Por muito tempo, pensei que era a solução mais fácil. Mas, honestamente, se Israel e os palestinos estiverem felizes (com outra opção), estarei feliz com o que eles preferirem;, declarou.

Já na campanha eleitoral de 2016, Trump tinha mencionado a possibilidade de transferir a embaixada americana de Tel Aviv para Jerusalém, ideia prontamente condenada pelos palestinos, que reivindicam o setor oriental da cidade como capital do seu Estado. O presidente americano, no entanto, pediu a Israel que pare a construção de assentamentos na Cisjordânia, principal motivo alegado pela AP para recusar a retomada de conversações diretas com o governo de Netanyahu.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação