Um Guerrero e dois falsos meias

Um Guerrero e dois falsos meias

Como Zé Ricardo tirou o Fla do sufoco, venceu a Universidad Católica, assumiu a liderança do Grupo 4 e pode avançar às oitavas até com derrota -- desde que o Atlético-PR não ganhe na última rodada

Marcos Paulo Lima
Marcos Paulo Lima
postado em 04/05/2017 00:00
 (foto: Gilvan de Souza/Flamengo
)
(foto: Gilvan de Souza/Flamengo )





Ele é arco e flecha. É dois em um. Vem jogando como camisa 10 (Diego) e 9 (Paolo Guerrero, mesmo). Na melhor fase da carreira com a camisa de um clube, o centroavante peruano foi o nome da vitória do Flamengo sobre a Universidad Católica, ontem, no Maracanã. O centroavante finalizou 13 vezes. Acertou um chute e chegou aos 11 gols na temporada pelo time rubro-negro ao fazer o segundo do time carioca nos 3 x 1.

O peruano contou com um compatriota como coadjuvante. Trauco usou a perna direita ; que não é a boa ; para decidir um duelo que chegou a ficar tenso quando Santiago Silva fez 1 x 1. Rodinei havia aberto o placar de caneta canhota ; que também não é a boa ;, mas a igualdade assustou mais de 60 mil pagantes. Além dos gols, os improvisos de Zé Ricardo, com Pará e Trauco no meio, decidiram a partida.

O alívio do Flamengo é passageiro. A noite que poderia terminar com vaga antecipada para as oitavas de final adiou a decisão da chave para o próximo dia 17, às 21h45. Líder do Grupo 4 com 9 pontos, o Flamengo tem dois a mais do que San Lorenzo e Atlético-PR. A Universidad Católica soma cinco. O rubro-negro carioca avança com um empate diante do San Lorenzo na última rodada, no Nuevo Gasómetro. Até derrota serve, desde que Atlético-PR não vença a Universidad Católica, no Chile. Triunfos do Fla e Furacão garantem os dois brasileiros.

Rodinei abriu o placar no segundo tempo com um chute na veia depois do rebote de uma cobrança de falta de Paolo Guerrero. Santiago Silva, autor de gols contra Fluminense, Cruzeiro e Atlético-MG em competições sul-americanas, empatou de cabeça e marcou pela segunda vez contra o Flamengo nesta Libertadores. Mas aí, entrou em cena Guerrero. Um belíssimo chute cruzado recolocou o time na frente. E Trauco, de perna direita, ampliou. A partida terminou aos gritos de ;olé; da torcida. E com cânticos de ;Festa na Favela; nas arquibancadas.

Um dos trunfos da vitória do Flamengo foi a ousadia de Zé Ricardo ao usar uma tendência no futebol mundial: os falsos meias ; laterais improvisados no setor de criação. No segundo tempo, Pará foi para o meio de campo e Rodinei, que entrou no lugar de Mancuello, assumiu a lateral direita. Foi dele o primeiro gol rubro-negro. Em seguida, Renê reforçou a marcação na esquerda, por onde a Universidad Católica chegou ao empate, liberou Trauco para a meia esquerda e o lateral peruano marcou o terceiro gol, de perna direita.

Depois da vitória de ontem, o Flamengo se concentra na decisão do Campeonato Carioca contra o Fluminense, no domingo, às 16h. Como venceu a primeira partida por 1 x 0, a trupe de Zé Ricardo também tem a vantagem do empate para conquistar o 34; título Estadual.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação