Um saque sob suspeita

Um saque sob suspeita

postado em 01/06/2017 00:00


O Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) ; órgão ligado ao Ministério da Fazenda responsável por rastrear transações suspeitas ; comunicou à Procuradoria-Geral da República (PGR) que o filho do senador Zezé Perrella (PDT-MG), Gustavo Perrella, sacou R$ 103 mil no dia 13 de abril da conta da Tapera Participações.

O levantamento do dinheiro ocorreu um dia depois da entrega da mala de R$ 500 mil da JBS a um primo de Aécio Neves, Frederico Pacheco, que repassou o montante ao assessor de Perrella, Mendherson Souza. O órgão flagrou Mendherson provisionando a retirada do valor suspeito, em espécie, da conta da Tapera, em um banco, que foi sacado posteriormente por Gustavo.

A PGR suspeita de que a Tapera, da qual Gustavo é sócio, tenha sido a destinatária de parte dos R$ 2 milhões solicitados por Aécio a Joesley Batista, da JBS. O relatório do Coaf é mais um dos indícios levantados pelos procuradores de que o montante tenha ido parar na empresa do filho de Perrella.

O advogado Antônio Carlos de Almeida Castro, que defende Gustavo e Perrella, afirmou que ;há um erro evidente de interpretação; do Coaf. ;Gustavo nunca fez nenhum saque e nenhum depósito na Tapera. Vamos comprovar que o que houve foi um empréstimo.;

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação