Credibilidade e responsabilidade social

Credibilidade e responsabilidade social

postado em 01/06/2017 00:00


Ética, conformidade, credibilidade, responsabilidade e confiança são hoje fundamentais para uma empresa sobreviver, porque o mundo mudou e não aceita mais a desonestidade e a corrupção. Esta avaliação foi apresentada no painel ;Ética e Compliance na Construção;, durante o 89; Encontro Nacional da Indústria da Construção (Enic).

Credibilidade e confiança talvez sejam atualmente os ativos mais importantes de uma empresa, avaliou o cientista político e consultor Leonardo Barreto. ;A corrupção é hoje um inibidor do desenvolvimento econômico;, comentou. ;As coisas mudaram no Brasil porque o mundo mudou;, acrescentou Eliana Calmon, ministra aposentada do Superior Tribunal de Justiça (STJ).

Ética era, segundo ela, apenas uma discussão filosófica, sem qualquer relação com o mundo concreto. Com a mudança, a ;ética passa a valer dinheiro;. ;O mundo passou a se preocupar com a corrupção, não porque os países são bonzinhos, mas pela repercussão na economia;, disse a ministra. Para o economista Gesner Oliveira, professor da Fundação Getúlio Vargas (FGV), a sociedade brasileira não aceita mais a corrupção.

Gesner Oliveira fez uma exposição com orientações para as empresas de construção reduzirem os riscos de corrupção e desvios e melhorarem a conformidade e a transparência. ;É um reflexo do momento que o país está vivendo, mas as mudanças são demoradas, porque a corrupção envolve aspectos culturais;, avaliou.

Geralmente, a implantação de projetos de ética e compliance enfrenta resistência por causa da cultura da empresa e dos custos, disse o consultor Leonardo Barreto, lembrando, porém, tratar-se de movimento de conformidade mundial. Ele acredita que o setor de construção pode passar por uma mudança radical, como aconteceu no agronegócio há algumas décadas. Ética também foi o tema da palestra do filósofo e historiador Leandro Karnal. Ele lembrou que só chegaremos a um Estado ético quando a sociedade também adotar princípios e valores éticos. Segundo ele, a sociedade brasileira tem arraigados comportamentos antiéticos e citou como exemplos a aceitação de pagamento sem nota fiscal e os pedidos de atestados médicos falsos.

Mas Karnal acredita que há claros sinais de mudança na sociedade. Um deles é o fato de um filósofo como ele estar sendo convidado para dar palestras no país inteiro. ;Antes, só se discutia ética nas aulas de filosofia;, brincou. A ética, para ele, é uma forma da empresa viver em tranquilidade.




"É essencial a rápida aprovação das reformas para recuperar a credibilidade do país e trazer de volta o interesse do investidor;
Luiz Carlos Botelho, presidente do Sinduscon-DF





Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação