Eixo capital

Eixo capital

Ana maria campos/anacampos.df@dabr.com.br
postado em 08/06/2017 00:00
 (foto: Matheus Oliveira/Agência Saúde-DF)
(foto: Matheus Oliveira/Agência Saúde-DF)

Final feliz

O desfecho do sequestro do bebê no Hran livrou o governo Rollemberg de um desgaste sem precedentes. Se o recém-nascido não fosse encontrado rapidamente ou se ficasse ferido, a repercussão negativa seria evidente e a conta recairia no colo do Palácio do Buriti. Duas áreas estratégicas ficariam manchadas: a saúde e a segurança.



Outro Michel

O rigor com que o ministro Herman Benjamin está conduzindo o julgamento da chapa Dilma-Temer no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) deve tirar o sono do conselheiro Márcio Michel (foto), do Tribunal de Contas do DF. O magistrado é o relator no Superior Tribunal de Justiça (STJ) de uma ação penal contra o ex-delegado e ex-deputado distrital, acusado de crime de tortura contra presos. A análise do recebimento da denúncia seria ontem na Corte Especial, mas o julgamento foi adiado por motivos óbvios. Benjamin estava ocupado com outro Michel.




Veto a saias curtas

A Polícia Legislativa da Câmara Legislativa ganhou uma nova função: vai medir o tamanho da saia dos frequentadores da Casa. Portaria publicada ontem cria regras rígidas para o eleitor visitar o prédio. Está proibida a entrada e permanência de pessoas com ;trajes sumários;, como bermudas, roupas muito curtas e shorts. Também está vetado entrar com bonés, a não ser que haja autorização da Câmara.




Sentenças revertidas

Uma das testemunhas do processo administrativo disciplinar contra o juiz Fabrício Dornas Carata, a juíza Maria Silda Nunes de Almeida, da 8; Vara de Fazenda Pública do DF, reverteu as duas sentenças em que o magistrado absolveu José Roberto Arruda (PR). As decisões favoráveis ao ex-governador em duas ações de improbidade administrativa foram proferidas nas férias da titular da vara e foram consideradas irregulares, o que levou à condenação de Carata em sessão do Conselho Especial do Tribunal de Justiça do DF, na última terça-feira. Arruda chegou a pedir a suspeição de Maria Silda. Sem sucesso.


Renda reduzida

O juiz Fabrício Dornas Carata, punido pelo Tribunal de Justiça do DF com a aposentadoria compulsória, vai perder um salário bruto de R$ 40,2 mil e manter
R$ 4,7 mil em proventos. Em 13 de julho, ele completaria cinco anos na magistratura. Só em diárias de viagens, em dois anos no Conselho Nacional de Justiça (CNJ), entre 2011 e 2012, ele recebeu R$ 34.529,50.


Cautela com delações

Casado com uma enteada do ex-chefe da Casa Civil José Geraldo Maciel, o juiz Fabrício Dornas Carata escreveu no ano passado um artigo em que defende cautela na análise de denúncias baseadas apenas em delações premiadas. ;O magistrado deve se cercar de todos os cuidados para que a
colaboração premiada não vulnere o sistema acusatório ou impossibilite o pleno exercício do direito de defesa, anulando a possibilidade de efetiva, detida, acurada e plena análise das teses defensivas apresentadas pelo(s) corréu(s);. A análise leva em conta o cenário nacional, da Operação Lava-Jato, mas serve também para a Pandora, que tem Maciel como réu, e um delator que se tornou célebre, Durval Barbosa.




Novo ponto turístico

A Praça do Buriti e os palácios em torno dela devem se tornar em breve novos pontos de turismo cívico do Distrito Federal. O projeto encabeçado pelo presidente da Câmara Legislativa, Joe Valle (PDT), é abrir as sedes dos três poderes do DF a visitações públicas, especialmente nos fins de semana. O assunto está em debate com os chefes do Executivo e do Judiciário, e terá a participação de guias de turismo da cidade. A ideia é que eles façam os circuitos com visitantes e, em contrapartida, ofereçam os mesmos passeios a estudantes de escolas públicas. Dessa forma, não haveria gastos públicos.



Notícia positiva em redes sociais

Tadeu Filippelli publicou nas redes sociais um post patrocinado com a divulgação de uma decisão do Tribunal de Justiça do DF que o absolveu em ação de improbidade administrativa por ter concedido reajuste salarial a servidores sem ter condições financeiras. Uma notícia boa no meio de tantas negativas.



Siga o dinheiro

R$ 237.713,08

Valor previsto em licitação para contratação de empresa especializada em eventos para prestação de serviços à Administração Regional de Brazlândia




Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação