Falha corrigida

Falha corrigida

Depois de insistir com um ultrapassado câmbio automático de quatro marchas, Citroën equipa C3 e Aircross com transmissão de seis velocidades

postado em 08/06/2017 00:00

; Pedro Cerqueira
Especial para o Correio

A Citro;n demorou, mas agora corrigiu o que era considerado uma grande fragilidade do seu modelo mais vendido. O C3, assim como o seu irmão Aircross, ganhou câmbio automático de seis marchas, substituindo o antigo, que tinha apenas quatro velocidades. O novo câmbio também oferece a opção para o motorista efetuar trocas de marcha manualmente, de forma sequencial, por meio da própria alavanca. Trata-se da mesma caixa de marchas automática usada em modelos maiores, como o sedã C4 Lounge e o monovolume C4 Picasso.


Uma das principais preocupações durante o desenvolvimento desse câmbio foi manter o conforto durante as trocas de marcha. Naturalmente, um câmbio melhor escalonado oferece um comportamento mais linear, desde que seja feita uma boa calibração entre a caixa e o motor. Com a oferta de mais relações de marcha, também foi possível obter as duas primeiras mais curtas, oferecendo melhor resposta nas arrancadas, além de eficiente comportamento no trânsito urbano, já que as trocas são feitas em regimes de rotação mais baixos.


Além do desempenho, outras vantagens da adoção do câmbio de seis marchas são o menor ruído de funcionamento do motor (já que ele atua em rotações mais baixas) e a redução do consumo de combustível ; que, segundo a Citro;n, ficou na casa dos 7% ;, com uma sexta marcha bem desmultiplicada, que permite baixas rotações em velocidades mais altas. O câmbio rendeu ao Aircross a classificação A de consumo no Programa Brasileiro de Etiquetagem Veicular (PBEV) do Inmetro.

Temperamental
Para adequar a resposta do câmbio às necessidades do motorista, é possível optar por três modos de condução: Sport, com respostas mais rápidas, porque permite elevar o giro; Eco, que prioriza a redução do consumo de combustível; e Drive, um meio-termo entre consumo e desempenho. Tanto o C3 quanto o Aircross, quando equipados com câmbio automático, trazem sob o capô o motor 1.6 flex de quatro cilindros, com 118cv de potência e 16,1kgfm de torque (quando abastecido com etanol). Segundo a Citro;n, cerca de 80% do torque está disponível a partir das 1.500rpm.

Novidades
Além do câmbio, a linha 2018 desses modelos traz uma nova cor, a dark carmin (marrom metálico), e passa a oferecer em todas a versões (com exceção da St@rt) a central multimídia com tela tátil de sete polegadas. O C3 passa a ter uma nova versão de entrada com câmbio automático, a 1.6 Attraction Auto. Vendida a partir de R$ 58.540, ela traz de série direção elétrica, ar-condicionado, central multimídia, computador de bordo, faróis de neblina, vidros e travas elétricas e volante com regulagem de altura e profundidade. Já o Aircross ganhou a versão 1.6 Live Auto, a partir de R$ 67.990, com direção elétrica, ar-condicionado, luzes diurnas, rodas de alumínio de 16 polegadas, barras de teto e central multimídia.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação