Discurso de "absoluta harmonia"

Discurso de "absoluta harmonia"

Em meio à possibilidade de troca de comando na Polícia Federal, ministro da Justiça critica %u201Cespeculações%u201D

» Alessandra Modzeleski Especial para o Correio
postado em 25/06/2017 00:00
 (foto: Minervino Junior/CB/D.A Press
)
(foto: Minervino Junior/CB/D.A Press )



O ministro da Justiça, Torquato Jardim, afirmou que o governo não está preocupado ;com personalidades;. Em meio a especulações sobre trocas no comando da Polícia Federal, Torquato e o diretor da PF, Leandro Daiello, chamaram a imprensa, ontem, para um pronunciamento. Ambos destacaram que há ;absoluta harmonia na condução das duas instituições;, mas se recusaram a responder diretamente se o diretor da corporação continuaria no cargo.

No pronunciamento, Torquato criticou e chamou de ;pós-verdades; as notícias de que Daiello seria substituído no comando da PF. ;Não corresponde à realidade, não constrói afabilidade e em nada ajuda à boa condução dos interesses públicos;, reforçou. Desde que assumiu o comando no ministério, no fim de maio, Torquato é questionado sobre a continuidade ou não do diretor-geral da PF. No fim da tarde, a assessoria da pasta confirmou a permanência de Daiello no cargo.

Daiello assumiu a corporação em 2011, durante a gestão da ex-presidente Dilma Rousseff. Em fevereiro deste ano, a própria Associação Nacional dos Delegados da Polícia Federal (ADPF) chegou a enviar ao presidente Michel Temer uma lista tríplice com sugestões de nomes para substituir o atual diretor.

Ao lado de Daiello, Torquato afirmou que o projeto do MJ com a PF é a modernidade e a internacionalização da capacidade operacional da corporação para atuar em crimes transnacionais. ;É preciso atuar além das fronteiras. Essa é a primeira prioridade. A segunda é a capacitação de meios e pessoal;, defendeu. Após menos de três minutos de fala, Torquato levantou e deixou a coletiva, sem responder à imprensa.

Crimes

Em seguida, sozinho, o diretor da PF reforçou o discurso do ministro de que os projetos da corporação andam em ;uma perspectiva institucional e não pessoal;. Lembrou que, na primeira semana da posse de Torquato, ele foi convidado para visitar a PF. ;Onde foi feita uma reunião com a diretoria, e a Polícia Federal apresentou a sua estrutura e os seus projetos.;

;Dentro desses projetos, o ministro apresentou a firmeza de que é preciso avançar em tecnologia, conhecimento, capacidade de inteligência, capacidade de investigação e é o que temos feito, nesses últimos dias, com muita tranquilidade;, continuou. Em um discurso de menos de dois minutos, Daiello reforçou a necessidade da PF em combater os crimes transnacionais e proteger as fronteiras, por fim, levantou também sem responder a nenhum questionamento.

"Não corresponde à realidade, não constrói afabilidade e em nada ajuda a boa condução dos interesses públicos;

Torquato Jardim, ministro da Justiça

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação