O caminho até o Feirense

O caminho até o Feirense

postado em 25/06/2017 00:00
A torcida do Coxa escolheu Vaná como vilão para a perda do Campeonato Paranaense de 2015. No primeiro jogo da final, contra o Operário, o goleiro falhou nos dois gols dos adversários. Na segunda partida, ele foi bem, mas o Coritiba perdeu por 3 x 0 e ficou com o vice-campeonato. Sem clima, jogou pouco depois. No compromisso seguinte, contra o Fortaleza, pela Copa do Brasil, foi reserva de Bruno Brigido. Acabou negociado com o ABC, de Natal, no início de 2016.

Em seis meses, fez 36 jogos pela equipe potiguar. Nesse tempo, foi titular da equipe campeã estadual sobre o América-RN e continuou a boa fase nos 10 jogos que atuou na campanha do clube na Série C ; o clube, ao fim, conseguiu o acesso para a segunda divisão. As boas atuações despertaram a atenção do mercado português. ;Um dia, eu estava assistindo a um filme com a minha esposa e o telefone tocou. Um cara com sotaque português perguntou se eu queria jogar em Portugal;, relata Vaná.

O brasiliense não teve mais informações sobre o misterioso clube lusitano interessado em contratá-lo. ;Nem sei o nome do cara. Depois, descobri que não era do Feirense;, lembra. ;Então, chegou a oferta do Feirense. Meu empresário contou a situação do time, que estava subindo (da segunda para a primeira divisão). Perguntou se eu queria ir e eu disse sim. A língua era a mesma, aí, facilitou. Meu inglês é ;cansado;;, brinca. (PHG)


;Então, chegou a oferta do Feirense. Meu empresário contou a situação do time, que estava subindo (da segunda para a primeira divisão). Perguntou se
eu queria ir e eu disse sim. A língua era a mesma, aí, facilitou. Meu inglês é ;cansado;;

Vaná, goleiro brasiliense
do Feirense, de Portugal

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação