Irmãos acusados de planejar atentado

Irmãos acusados de planejar atentado

postado em 06/07/2017 00:00
 (foto: 
DenisCharlet/AFP
)
(foto: DenisCharlet/AFP )

Uma operação antiterror, deflagrada pela polícia da Bélgica, terminou com a prisão de quatro pessoas, entre elas, dois irmãos. Akim Saouti, 40 anos, e Khalid Saouti, 37, foram capturados na madrugada de ontem com os supostos cúmplices em Anderlecht, bairro popular de Bruxelas. Eles são irmãos de Said Saouti, fundador dos Kamikaze Riders, grupo de motociclistas vinculado ao extremismo, e planejavam atentados. Em Wattignies, na França, cerca de 30 policiais fortemente armados agiram para deter um quinto suspeito, um homem de 42 anos.

Durante a operação, os policiais belgas encontraram um grande arsenal, armazenado numa caixa encontrada na garagem da casa dos acusados. Lá estavam armas Kalashnikov, explosivos, pistolas, munição, rádios e coletes à prova de balas, assim como uniformes de policiais, de agentes de segurança e de socorristas.

Em comunicado, a Procuradoria destacou que a operação de ontem nada tem a ver com os atentados que deixaram 130 mortos em Paris em 13 de novembro de 2015, organizados na Bélgica, ou com os ataques que causaram 32 mortes no aeroporto e no metrô de Bruxelas em 22 de março do ano passado. A investigação mostrou que uma mesma célula extremista preparou ambos os atentados reivindicados pelo grupo Estado Islâmico (EI).;Esse caso é totalmente diferente;, destacou a nota.

A Procuradoria descartou também relação entre as prisões de ontem com a tentativa frustrada de ataque à estação central de Bruxelas, no último dia 21 de junho, quando o suspeito morreu ao explodir a sua mala cheia de detonadores no subsolo da estação.

De acordo com Eric Van der Sypt, porta-voz da Procuradoria belga, os irmãos Saouti são vinculados a Mohamed Karay, cuja prisão, em 27 de dezembro de 2015, abalou a Bélgica de tal forma que provocou o cancelamento das comemorações de ano-novo por medo de um atentado. Said, 30 anos, que fundou o grupo de motociclistas em 2003, foi preso na mesma ocasião. Ambos foram acusados de planejar ataques ao Grand-Place de Bruxelas e à delegacia central.

Em outubro do ano passado, Said foi condenado a seis anos de prisão por recrutar pessoas para participar de ações terroristas. O tribunal correcional de Bruxelas acolheu como provas inúmeros vídeos publicados na internet em que ele fazia apologia ao extremismo. Karay, de 27 anos, recebeu uma pena de três anos de reclusão por ;pertencer a um grupo terrorista;.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação