Futebol testemunha a 10ª morte em 2017

Futebol testemunha a 10ª morte em 2017

postado em 14/07/2017 00:00
 (foto: Reprodução
)
(foto: Reprodução )



O torcedor do Palmeiras esfaqueado durante uma briga após a vitória do Corinthians sobre o alviverde, pelo Campeonato Brasileiro, não resistiu aos ferimentos e morreu horas depois de ser atacado. A confusão ocorreu no início da madrugada de ontem. Leandro de Paula Zanho tinha 38 anos e deixa a mulher e três filhos. Ele morava em Santo André e tinha ido para a capital assistir ao clássico com dois amigos.

A morte se deu na Santa Casa de São Paulo. ;O paciente deu entrada em estado grave, com instabilidade hemodinâmica, necessitando intervenção cirúrgica. Após atendimento de emergência foi levado ao centro cirúrgico. O paciente seguiu instável e veio a óbito nesta manhã;, informou o hospital, por meio de nota.

Segundo a Polícia Militar, a vítima foi atingida por dois golpes de facão na região do abdome. Dois torcedores do Corinthians envolvidos na confusão estão detidos no 91; Distrito Policial, na Vila Leopoldina. Um deles, um mecânico de 24 anos, foi indiciado por homicídio doloso qualificado (com intenção de matar) e lesão corporal.

O boletim de ocorrência indica que os torcedores teriam discutido em frente a uma borracharia na esquina sob o Elevado Presidente João Goulart, o Minhocão, a cerca de 2km do Allianz Parque. A partida teve torcida única, procedimento habitual nos clássicos deste ano em São Paulo.

Leandro de Paula Zanho é a 10; vítima de violência ligada ao futebol em 2017, a segunda em menos de uma semana ; no sábado, morreu o torcedor vascaíno Davi Rocha, 27, que levou um tiro no tórax durante a confusão generalizada em São Januário após a derrota do Vasco para o Flamengo por 1 x 0.

Das 10 mortes deste ano, seis foram registradas em clássicos estaduais. Em média, um brasileiro morre a cada 19 dias por causa do esporte, número maior do que a do ano passado. Em todo 2016, houve 13 ocorrências fatais.


Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação