Brasília-DF

Brasília-DF

por Denise Rothenburg » deniserothenburg.df@dabr.com.br
postado em 06/08/2017 00:00



Antes da Previdência, a meta

Os líderes do governo e de partidos aliados já foram avisados que é preciso preparar a base para, antes da reforma previdenciária, aprovar o ajuste da meta fiscal, a mudança da taxa de juros dos empréstimos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e, ainda, o Refis. A sorte do governo é que nesses quesitos, os 263 que Temer obteve na última quarta-feira resolvem.

; ; ;

Em tempo: o mercado aposta na aprovação da reforma da Previdência e acredita que a ampliação do deficit na meta fiscal está diretamente relacionada com a conta para aprovar a proposta. Afinal, faltando um ano para a eleição, um desgaste político dessa ordem, em especial, junto aos servidores públicos, só se houver alguma benesse para compensar.

Quem tem medo de Bendine I

Que Val Marchiori, que nada. A prisão do ex-presidente do Banco do Brasil e da Petrobras Aldemir Bendine colocará novamente na vitrine a ex-chefe do escritório da Presidência da República em São Paulo Rosemary Noronha, aquela que d. Marisa Letícia não gostava. Madrinha de Bendine no BB, Rose, como Lula e os amigos a chamam, deu uma mergulhada depois da demissão, em 2012, já no governo Dilma Rousseff.

Quem tem medo de Bendine II


A perspectiva de delação do ex-presidente do BB, dizem os próprios petistas, trará novamente à baila toda a teia de relações de Rose, inclusive com o ex-presidente Lula. Nos tempos de Bendine no BB, Rose conseguiu emplacar ainda um aliado de Delúbio Soares no comando do banco em Goiás.

Recordar é viver

Rose foi demitida depois que a Operação Porto Seguro da PF a apontou como parte integrante de um esquema de tráfico de influência e cobrança de propinas. O escritório da Presidência em SP foi inclusive alvo de busca e apreensão.

Bom sinal

Os fundos gerenciados pelo Ministério da Integração que atendem as regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste fecharam o 1; semestre com a liberação de R$ 11 bilhões, 34% acima do valor liberado no mesmo período de 2016 e o melhor resultado desde a criação desses fundos, em 1989. Esses recursos atendem do pequeno produtor rural às grandes indústrias, com linhas de financiamento para investimento de longo prazo, capital de giro e custeio a fim de estimular o desenvolvimento nas três regiões.



Efeito do cigarro / Transferido para o presídio, Aldemir Bendine (foto) está um pouco menos estressado. Lá, tem dois banhos de sol por dia com direito a pitadas. Na carceragem da Polícia Federal, Bendine já estava subindo pelas paredes. Agora, vai pensar melhor na delação.

O cara / Sabe por que o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, ficou tão anti-Temer ultimamente? Parte dos aliados do governador paulista estão convictos de que, se o presidente sair dessa crise e conseguir recuperar o fôlego, jamais irá apoiar o tucano em 2018. O nome será o do ministro da Fazenda, Henrique Meirelles.

Terra de Murici / Cada um por si. Quem conhece a forma dos deputados se comportarem quando vêem a própria eleição no horizonte alerta: tudo o que for votado a partir de agora na Câmara passará pelo filtro ;e o que eu ganho com isso?;.

Não te fresqueia, tchê! /
Na tumultuada sessão em que o presidente Michel Temer obteve o direito de continuar exercendo a Presidência da República, o deputado Carlos Marun se vira para o deputado Pompeo de Mattos, que cogitou não votar: ;No Rio Grande quem honra sua bombacha tem que ser homem! É sim ou não! Mattos não titubeou: Vestido à caráter, foi lá e tascou o voto contra o presidente Michel Temer.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação