Patrimônio crescente

Patrimônio crescente

postado em 06/08/2017 00:00


Depois de quatro anos de existência, a Fundação de Previdência Complementar do Servidor Público do Poder Executivo (Funpresp) conta atualmente com 46,2 mil participantes, servidores de 205 órgãos diferentes. A maioria é da área da educação: 67%. O patrimônio do fundo já ultrapassou R$ 540 milhões.

A adesão é automática desde 2015, mas os servidores não são obrigados a permanecer e podem declarar não ter interesse. Antes, só os que pediam para entrar se tornavam participantes. A maioria não se desvincula, já que a opção é atrativa, principalmente pela contrapartida do governo. Para cada R$ 1 investido pelo associado, a União aplica R$ 1, benefício que não existe em nenhuma outra aplicação no momento do aporte. O valor médio da aposentadoria programada das entidades fechadas, em geral, chega a R$ 5.137, segundo a Associação Brasileira de Entidades Fechadas de Previdência Complementar (Abrapp).


Responsabilidade
Para o governo, incentivar a adesão à previdência complementar é positivo. Por isso, ele fomenta essa migração, explica o economista Kaizô Beltrão, professor da Fundação Getulio Vargas (FGV). ;Do ponto de vista patronal, é melhor, porque pode diminuir a responsabilidade. O pagamento passa a depender da rentabilidade do fundo, não é uma promessa de valor;, explica. Seria, segundo ele, uma forma de cooptação, como juros subsidiados. (AA)

Benefícios
Quem preferir se manter no regime antigo também pode aderir à Funpresp, mas como participante ativo alternativo. Ou seja, sem a contrapartida da União. Neste caso, há outras vantagens, como a contratação dos benefícios do risco, invalidez e morte e dedução das contribuições no imposto de renda.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação