Eixo capital

Eixo capital

Ana maria campos/anacampos.df@dabr.com.br
postado em 06/08/2017 00:00
 (foto: Reprodução/Internet

)
(foto: Reprodução/Internet )


Petistas apontam à embaixada da Itália violação de direitos de Pizzolato na Papuda

Os deputados Érika Kokay (PT/DF) e Paulão (PT/AL), integrantes da Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara dos Deputados, encaminharam ofício à Embaixada da Itália com denúncias de ;violações aos direitos humanos; do ex-diretor do Banco do Brasil Henrique Pizzolato, condenado a 12 anos e sete meses, no processo do Mensalão, pelos crimes de peculato, lavagem de dinheiro e corrupção. No documento, os parlamentares petistas reclamam de demora na concessão de progressão do regime fechado para os semiaberto, a negativa da justiça em reduzir a pena como remissão pela leitura de livros no Centro de Detenção Provisória e, entre outros detalhes sobre as condições na Papuda, o fato de Pizzolato ter sido punido em isolamento. Kokay enviou reclamação também à Procuradoria-Geral da República. Com cidadania italiana, Pizzolato fugiu para evitar a prisão e sua extradição foi autorizada com a condição de que ele seria tratado com dignidade nas penitenciárias brasileiras.

Acusação sem provas
A juíza Leila Cury, da Vara de Execuções Penais do DF, rebateu as acusações dos deputados petistas. Ela disse, em despacho, que Érika Kokay e Paulão não apresentaram qualquer prova das denúncias encaminhadas à Embaixada da Itália. Cury disse que considera ;temerário; que os deputados apresentem ;denúncias vagas; e sem provas de violações de direitos que seriam praticadas pela Vara de Execuções Penais, pelo GDF, pela Procuradoria-Geral da República e pelo Supremo Tribunal Federal. Leila Cury destacou que esteve algumas vezes no CDP e nunca ouviu nenhuma reclamação de Pizzolato.


Alfinetada
No despacho, a juíza Leila Cury frisou que Henrique Pizzolato cumpre pena em situação ;infinitamente melhor que a do restante da massa carcerária;. Segundo ela, Pizzolato se encontra em prédio com construção nova e sem superlotação. A magistrada alfineta: ;Os Excentíssimos Senhores Parlamentares não se manifestaram em favor de todos os demais presos, apesar de serem integrantes da Comissão de Direitos Humanos;.


Em boa companhia
A juíza da Vara de Execuções Penais, Leila Cury, ressaltou: ;Aliás, curiosamente, na cela onde Pizzolato cumpriu isolamento preventivo havia mais 10 presos, dentre os quais um grande empresário local, um denunciado pelo Ministério Público Federal por envolvimento em recebimento de propina de valor exorbitante que teria ligações com o atual presidente da República, além de outros internos humildes e desconhecidos do grande público, entretanto, os senhores parlamentares nada pleitearam em favor deles e nem os próprios presos ou seus respectivos defensores fizeram quaisquer reclamações ou denúncias de maus tratos ou violações de seus direitos;. O empresário em questão é Luiz Estevão e o denunciado, Lúcio Funaro, apontado como operador do PMDB no mercado financeiro. Eles passaram uma temporada na solitária em janeiro porque estavam recebendo regalias indevidas.

Mandou bem

Está em vigor desde a semana passada lei, de iniciativa do deputado Cristiano Araújo (PSD), que permite aos consumidores, a partir de agora, entrarem nas salas de cinema, espaços de lazer e entretenimento culturais e esportivos com lanches comprados em outros estabelecimentos.

Mandou mal

O reajuste das alíquotas de PIS/Cofins para combustíveis embaralhou o mercado de abastecimento e permitiu que os postos voltassem a uniformizar os preços nas bombas, voltando a adotar práticas típicas de cartel abolidas por iniciativa da ação do Ministério Público do DF, da Polícia Federal e do Cade.

Influência virtual
Erika Kokay (PT-DF) é a única deputada do Distrito Federal a figurar no ranking dos 20 deputados mais influentes nas redes sociais, segundo o índice FSBinfluênciaCongresso, produzido pela FSB Comunicação. De terça a quinta da semana passada, período que coincidiu com a votação da denúncia contra o presidente Michel Temer, a petista foi a 12; mais influente na Câmara. O segundo parlamentar do DF nesse quesito foi Alberto Fraga (DEM-DF), que ocupa a modesta 147; posição no ranking geral. O pior colocado foi Izalci Lucas (PSDB-DF), o 453; dentre 519 deputados presentes no Facebook e no Twitter. O deputado mais influente nas redes sociais é Jair Bolsonaro (PSC-RJ), seguido por Jandira Feghali (PCdoB-RJ) e Paulo Pimenta (PT-RS).


No debate
Dos três senadores do DF, o único a bombar nas redes sociais é Cristovam Buarque (PPS-DF), que aparece em 9; lugar no ranking. Reguffe é o 45; e Hélio José, o 71;. Cristovam é assíduo. Apanha de adversários, é aplaudido por simpatizantes e responde às provocações.

Enquanto isso...
Na sala de Justiça


O relatório da Polícia Federal sobre a Operação Panatenaico, que apura corrupção praticada na obra do estádio Nacional de Brasília Mané Garrincha, já tem mais de 250 páginas. Deve estar concluído em 15 dias, com os indiciamentos. Entre os investigados estão os ex-governadores Agnelo Queiroz (PT) e José Roberto Arruda (PR) e o ex-vice-governador Tadeu Filippelli (PMDB), que estiveram presos em maio.

Seria a reeleição de Rollemberg?
Toda vez que o tema privatização de empresas chega ao ouvido do socialista Rodrigo Rollemberg, o silêncio e um sorriso são a resposta. O governador apenas escuta os argumentos, mas quem o conhece bem acredita que dificilmente essa decisão será tomada em seu governo. Para os defensores da ideia, a venda de uma estatal pode significar a entrada de uma bolada suficiente para pagar todas as dívidas, os reajustes suspensos e ainda contemplar as forças de segurança. Com eficiência, ainda poderá sobrar dinheiro para investimentos.


Reguffe: ;Indecência;
O senador José Antonio Reguffe (Sem partido/DF) criticou, em discurso no plenário, a votação que barrou a denúncia da Procuradoria-Geral da República contra o presidente Michel Temer. ;Uma vergonha essa votação na Câmara. Não tenho dois pesos e duas medidas, o que valeu para mim no governo do PT continua valendo agora. É deplorável também o uso de dinheiro e cargos públicos que foi feito para se obter esse resultado. Uma indecência;, afirmou.


Planos de disputar eleições
Ex-chefe da Casa Militar, o coronel Rogério Leão, que está na reserva, cogita

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação