Eixo capital

Eixo capital

Ana maria campos/anacampos.df@dabr.com.br
postado em 09/08/2017 00:00
 (foto: Ed Alves/CB/D.A Press)
(foto: Ed Alves/CB/D.A Press)

PPS/DF apoia candidatura de Cristovam à Presidência

A comissão executiva regional do PPS apoiar a pré-candidatura do senador Cristovam Buarque à Presidência da República em 2018. O ex-governador não esconde que gostaria de participar do debate nacional, mas garante que não vai se movimentar para viabilizar essa pretensão. Roberto Freire, presidente nacional, tende a conduzir o PPS para uma aliança com o PSDB, em torno do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, ou o prefeito da capital, João Doria. Se Cristovam, favorito na disputa a uma das duas vagas ao Senado, sair da disputa, o cenário político-eleitoral do DF ficará aberto para negociações dos partidos. Pode mudar muitas negociações.




Quem vai ser?

Uma das inserções do PMDB-DF, que começaram a ser veiculadas ontem no rádio e na televisão, recomenda ao eleitor: ;De cada nove pessoas em Brasília, 10 acham o governo Rollemberg ruim ou péssimo. Se você é uma delas, ajude Brasília a escolher um governante sério, responsável e que saiba o que faz;.




Segundo ano de governo em análise

O conselheiro Paulo Tadeu, relator das contas do governo Rollemberg relativas ao exercício de 2016, pediu para marcar a data da sessão especial em que o processo será analisado no plenário do Tribunal de Contas do DF. Será em 26 de setembro, às 10h. Na semana passada, os conselheiros aprovaram por unanimidade as finanças do primeiro ano do mandato de Rollemberg, inclusive com elogios de Paulo Tadeu.




Colinha

O polêmico ponto da lei dos incentivos fiscais que libera os estados a adotarem os mesmos benefícios dos vizinhos na região, sancionado pelo presidente Michel Temer, é chamado por integrantes do governo Rollemberg de ;colinha;. Uma brincadeira ao fato de que as vantagens oferecidas por Goiás para atrair as empresas do DF serão copiadas integralmente aqui.




Seria o caos

A avaliação do governador Rodrigo Rollemberg é de que a economia do DF iria ao fundo do poço em suas finanças se o presidente Michel Temer tivesse vetado o dispositivo que permite à capital do país aderir aos incentivos tributários concedidos pelos estados do Centro-Oeste. A lei convalidaria tudo o que foi feito no passado, abrindo possibilidade de manutenção, no caso do ICMS por mais 15 anos, e deixaria o DF fora do jogo. ;Seria a liquidação definitiva da economia do DF;, acredita o governador.




Articulação socialista pelos incentivos fiscais

Passou pelo PSB, numa articulação do governador Rodrigo Rollemberg, a votação do projeto que resultou na Lei Complementar 160/2017, de incentivos fiscais. Aprovada no Senado, a matéria foi retirada da Câmara sem que ninguém da bancada do DF se desse conta de que o tema interessaria ao setor produtivo de Brasília. O senador Fernando Bezerra (PSB/PE) apresentou uma emenda para que o projeto retornasse ao debate e a líder do PSB na Câmara, Tereza Cristina (MS), trabalhou pela sua aprovação. Ela esteve com o presidente Michel Temer e transformou a votação num pedido pessoal. Detalhe: a deputada socialista votou pela derrubada da denúncia contra Temer na Câmara.




Obra em homenagem a Roriz

A inauguração do asfalto da rodovia GO 520 que liga Novo Gama a Luziânia reuniu ontem a família Roriz. Dona Weslian, Wesliane, Jaqueline e a deputada Liliane Roriz (PTB) participaram da solenidade ao lado do governador de Goiás, Marconi Perillo (PSDB). A estrada passa na frente da fazenda Palma e era uma antiga reivindicação do ex-governador Joaquim Roriz e de suas filhas. Por problemas de saúde, ele não esteve no evento político, mas foi homenageado em todos os discursos. Por causa da promessa da obra, Roriz negou apoio político para a eleição de Ronaldo Caiado (DEM/DF), adversário de Perillo.




Brasilienses no Judiciário

Brasilia já tem 57 anos, várias faculdades de direito mas somente dois magistrados nasceram na capital. O Supremo Tribunal Federal (STF) e os três tribunais superiores (STJ, TST e STM) têm no total 86 membros, mas só o Superior Tribunal Militar (STM) tem ministro brasiliense. Trata-se do ministro Artur Vidigal de Oliveira, que nasceu em outubro de 1960, cinco meses depois da inauguração da capital. Já o Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios (TJDFT), ganhou no ano passado seu primeiro desembargador natural do Distrito Federal. Sandoval Gomes de Oliveira (foto), nascido em Brasília, pouco antes da inauguração da cidade, há 26 anos dedica-se à magistratura.



Libra nas sessões da Câmara

A Câmara Legislativa contratou serviço de tradução e interpretação da Língua Brasileira de Sinais (Libra). Um tradutor vai transmitir as sessões no plenário e nas comissões permanentes. O contrato da empresa Escola Libras Acessibilidade de Comunicação LTDA- ME vai custar R$ 148.998,00. Ideia partiu do segundo secretário da Câmara, deputado Robério Negreiros (PSDB).




Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação