Donald Trump denuncia destruição da história

Donald Trump denuncia destruição da história

postado em 18/08/2017 00:00
 (foto: Win McNamee/Getty Images/AFP)
(foto: Win McNamee/Getty Images/AFP)



Sob uma avalanche de críticas tanto por parte de democratas quanto de republicanos, sem contar líderes internacionais, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, condenou ontem a remoção das estátuas dos heróis confederados, afirmando que isso está destruindo a cultura e a história americanas. Trump retomou o delicado tema racial sobre os monumentos de figuras ligadas ao movimento sulista pró-escravidão em uma série de tuítes que reforçam suas polêmicas declarações dos últimos dias. ;Triste ver a história e a cultura de nosso grande país sendo destruídas pela remoção de nossas belas estátuas e monumentos;, escreveu Trump em um dos posts publicados em seu perfil na rede social. As novas declarações de Trump coincidiram com a divulgação de uma pesquisa que mostra que a maioria dos americanos é favorável à manutenção das esculturas.

;Você não pode mudar a história, mas pode aprender com ela. Robert Lee, Stonewall Jackson ; quem é o próximo? Washington, Jefferson? Que tolice!”, acrescentou. Lee e Thomas ;Stonewall; Jackson eram generais confederados, enquanto George Washington e Thomas Jefferson faziam parte dos chamados Pais Fundadores dos Estados Unidos. O presidente enfatizou ainda que a remoção das estátuas enfeia a paisagem. ;Também a beleza que está sendo tirada de nossas cidades e parques fará muita falta e nunca poderá ser comparavelmente substituída!”, insistiu.

crise começou quando um protesto contra a retirada de uma estátua do general confederado Robert E. Lee resultou, no último fim de semana, em distúrbios violentos, envolvendo supremacistas brancos e militantes antirrascismo na cidade de Charlottesville, na Virgínia. Trump foi alvo de severas críticas por demorar a se manifestar sobre os confrontos. Quando falou, primeiro atacou os supremacistas. Depois, afirmou que os dois lados do conflito tinham responsabilidade na explosão da violência. Acabou sendo alvo de repúdio internacional e doméstico, inclusive dos ex-presidentes republicanos George Bush pai e filho.

Depois dos tuítes de ontem, os críticos de Trump rapidamente reagiram. E procuraram corrigir o presidente americano. ;Prezado @realDonaldTrump: Robert Lee e Stonewall Jackson não são a mesma coisa que Washington e Jefferson. Não posso acreditar que tive de escrever essa sentença;, afirmou Ted Lieu, um congressista democrata da Califórnia.

Já o estrategista-chefe da Casa Branca, Steve Bannon, disse ao jornal The New York Times acreditar que a visão do presidente é compartilhada por muitos americanos. ;O presidente Trump, ao perguntar ;onde tudo isso termina; ; Washington, Jefferson, Lincoln ;, visa a conectar o povo americano com sua história, cultura e tradições;, explicou Bannon. ;A política de identidade racial da esquerda quer dizer que tudo é racista;, condenou.

Apoio
Uma pesquisa NPR/PBS News Hour/Marist parece corroborar a opinião do presidente. Segundo a sondagem, 62% dos americanos acreditam que as estátuas devem permanecer como símbolos históricos. Apenas 27% acham que devem ser retiradas. O dado considerado mais surpreendente é que 44% dos afro-americanos concordam que as estátuas devem permanecer onde estão, contra 40% que afirmam o contrário.

Entre os republicanos, a grande maioria votou a favor da manutenção das estátuas, contra apenas 6% contrários a elas.Os democratas se mostraram mais divididos: 47% são a favor da remoção e 44% preferem que fiquem onde estão, pelo bem da história. Em todo o país, há cerca de 1,5 mil símbolos dos confederados, localizados principalmente nas cidades do sul. Muitos monumentos, assim como nomes de estradas, escolas e prédios públicos, homenageiam Lee, o líder das forças confederadas.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação