Leonardo Cavalcanti

Leonardo Cavalcanti

por Leonardo Cavalcanti » leonardocavalcanti.df@dabr.com.br - (interino)
postado em 03/09/2017 00:00




Uma semana de três dias
como nunca se viu


Um dia depois de desembarcar da China, o presidente Michel Temer participa do 7 de Setembro. No Planalto, não deve ser baixada uma norma para que os ministros participem da solenidade da quinta-feira, mas, alguns, como o chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha, garantem presença. Em 2016, Temer fez a primeira aparição depois de tomar posse, em substituição a Dilma Rousseff. E parte do público reagiu com vaias.

; ; ;

Agora, com a economia dando sinais de recuperação, mas com índices de rejeição altos, o peemedebista deverá chegar à Esplanada já carimbado pela segunda denúncia do procurador-geral da República, Rodrigo Janot. Para o Ministério Público Federal (MPF), deixar a denúncia para a última semana de um mandato que termina no dia 17 seria dar bandeira demais sobre uma peça fechada aos 45 do segundo tempo.

; ; ;

Mesmo com a expectativa de uma semana morna, políticos da oposição estarão em Brasília já na próxima segunda-feira. Não que se tenha alguma expectativa em relação a sessões no Congresso. Eles estão de olho, na verdade, é nos holofotes com a possível nova denúncia de Janot contra Temer, que deve vir até a quarta-feira. Será a hora de aparecer.

; ; ;

Na terça-feira, está marcada uma reunião da executiva peemedebista. Os assuntos tratados devem ser as punições dos infiéis que votaram contra Temer na primeira denúncia e os acordos para as campanhas estaduais. Integrantes do núcleo do Planalto garantem que apenas o senador Romero Jucá está operando nesse jogo. Temer e Padilha estariam de fora.


Os mais influentes I

Dois integrantes do círculo do ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha conseguiram ganhar destaques entre os políticos mais influentes do Legislativo. Levantamento do Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar (Diap) revela que Arthur Lira (PP-AL) e Carlos Marun (PMDB-MS) entraram na lista Os Cabeça do Congresso, que será divulgada na próxima semana.


Os mais influentes II

No DF, a deputada Érika Kokay (PT) e o senador Cristovam Buarque (PPS) continuam entre os 100 mais. As surpresas estão no grupo em ascensão: o senador Hélio ;Melancia; José (PMDB) e os deputados Izalci Lucas (PSDB) e Ronaldo Fonseca (Pros). ;Para além do folclore e das polêmicas, o levantamento leva em conta a capacidade de negociar, debater e unir forças;, diz Antonio Augusto de Queiroz, diretor de documentação do Diap.


CURTIDAS

Guerra surda /
Há uma disputa silenciosa na Rede fluminense entre Miro Teixeira e Alessandro Molon. Enquanto Teixeira acha que é a vez dele sair candidato ao governo do Rio, Molon pede calma de olho nas alianças para o partido. No meio disso, as tratativas de Marina Silva com o presidente do Flamengo, Eduardo Bandeira de Mello, permanecem em alta.

Tô fora / A ex-ministra do Superior Tribunal de Justiça (STJ) Eliana Calmon disse mais uma vez que não disputará cargos políticos em 2018. Ex-candidata ao Senado na última eleição, ela afirmou: ;Com esse cenário político e essas regras, não há como pensar em concorrer;. Em entrevista ao Correio, em fevereiro, Calmon disse que se candidatou porque era ingênua.

Daiogoooooooo / Entre os assessores da Esplanada, o ministro do Planejamento, Dyogo Oliveira, passou a ser chamado de Daiogo, como se o ;y; do nome dele fosse pronunciado em inglês. Tudo começou com uma brincadeira de jornalistas durante uma coletiva de imprensa. O tema chegou ao Planalto e se espalhou pelos ministérios de Michel Temer.



Passaram no teste /
No Planalto, a avaliação é a de que Rodrigo Maia e André Fufuca (foto), presidentes interinos da República e da Câmara, respectivamente, não fizeram marola e conseguiram passar incólumes durante a viagem de Temer à China. No caso de Maia, isso até era esperado ; Fufuca, porém, surpreendeu. Em tempo: ainda faltam dois dias para o fim da interinidade.

Colaboraram Paulo Silva Pinto e Paulo de Tarso Lyra




Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação