Ferrari "popular"

Ferrari "popular"

O novo modelo de entrada da marca, a Portofino, substituirá a California T como veículo mais barato da montadora. Com motor V8 de 600 cavalos, o superesportivo está longe de ser acessível a todos

Geison Guedes Especial para o Correio
postado em 07/09/2017 00:00
 (foto: Ferrari/Divulgação)
(foto: Ferrari/Divulgação)


Quando falamos em um veículo de entrada, imaginamos modelos simples, com conjunto mecânico modesto, pouco ou nenhum requinte e itens de série honestos. Imagine um carro ;popular; capaz de ir do zero ao 100km/h em cerca de em 3,5 segundos, ter 600 cavalos e equipamentos de dar inveja. Pensou? Só poderíamos estar falando de um superesportivo, mas especificamente da nova Ferrari, a Portofino.

De popular, a nova supermáquina italiana não tem nada. Ela substituirá a California T como modelo de entrada da marca. E, como a irmã aposentada, homenageia um local. A Portofino remete a uma pequena comuna italiana. Por enquanto, ainda não há informações sobre preço e desembarque no Brasil. Por aqui, deve beirar os R$ 2 milhões, mais ou menos o valor do modelo de entrada atual.

O novo superesportivo será apresentado ao mundo no Salão Internacional do Automóvel de Frankfurt. Para a montadora, a cidadela é uma das mais bonitas da Itália e é conhecida pelo seu atraente porto turístico que, ao longo dos anos, se tornou sinônimo de elegância, esportividade e luxo discreto, tudo que é definido numa Ferrari. A cor de lançamento, Rosso Portovino, também foi dedicada à cidade, mas sem perder a identidade da Scuderia.





Diferenciada
É impossível olhar para um modelo da Scuderia e não se admirar. Se existe uma montadora com veículos capazes de arrancar suspiros até de marmanjos, essa é a marca italiana. Com a Portofino, não é diferente. Podemos falar sem medo que o superesportivo é um belíssimo carro, mesmo sem ouvir o ronco do motor ou a pegada da direção.

O design, como sempre, é refinado. As linhas são harmoniosas e ao mesmo tempo agressivas, como uma Ferrari deve ser. Os vincos e as entradas e saídas de ar espalhadas pela carroceria passam uma sensação de velocidade típica de modelos da Scuderia. O estilo é bem mesclado. Como a California T, a Portofino tem um estilo bem peculiar, alternando entre coupé, com o teto fechado, e cabriolet, com a capota aberta.

Outro detalhe que o novo modelo compartilha com o anterior é a quantidade de assentos, em vez de o clássico dois lugares, o superesportivo é um 2+2, ou seja, leva quatro pessoas. O interior é bem parecido com o da California T, porém mais refinado e, como toda Ferrari, luxuoso e esportivo ao mesmo tempo. Um grande console central divide os assentos dianteiros e traseiros, individualizando os lugares.





Raça forte
Sob o capô da Portofino, uma ;pequena; caixa de força de 600 cavalos ;puro-sangue;. O novo V8 gera 40 cavalos a mais que o antigo motor. O torque é digno de caminhão, são 77,4kgfm a 3.000rmp. Segundo a montadora, esse acréscimo foi conseguido graças à recalibração do propulsor e dos softwares de gerenciamento. De acordo com a Ferrari, a trilha sonora ; o ronco dos superesportivos da Scuderia são como música ; também foi aprimorada para uma melhor apreciação. Toda essa potência é capaz de levar o modelo da imobilidade até os 100km/h em 3,5 segundos. A velocidade máxima é de impressionantes 320km/h.

Além do motor, outras características mecânicas da Portofino foram melhoradas em relação à California T. O novo superesportivo utiliza um diferencial traseiro eletrônico de terceira geração (a primeira vez que a montadora usa esse equipamento em um modelo de entrada). Segundo a Ferrari, o diferencial em conjunto com o sistema F1-Trac melhora o aperto mecânico e, consequentemente, o controle do carro no limite. O veículo é também o primeiro da família a ser equipado com controle de estabilidade.

Conforto premium
Atualmente, um superesportivo não tem que ser apenas um carro veloz, é preciso ter conforto a bordo. Para melhorar a vida na cabine da Portofino, a Ferrari melhorou o sistema multimídia, agora com uma tela touchscreen de 10,2 polegadas, um novo sistema de ar-condicionado, que funciona mesmo com o teto aberto, bancos com regulagem elétrica com 18 posições e design que permite um maior espaço para as pernas dos passageiros dos assentos traseiros e um novo defletor aerodinâmico, que corta o fluxo de ar dentro da cabine e diminui em 30% o ruído do vento.



Glamour
A cerca de 500 quilômetros da capital italiana, banhada pelo Mar de Ligúria, fica a simpática Portofino. A bela província de Gênova tem menos de 600 habitantes e virou point para turistas do mundo todo. A beleza e o glamour do local justificam a homenagem feita pela Ferrari no seu mais novo modelo. Portofino reúne elegância, exclusividade, bom gosto e refinamento. A cara da riqueza.


Grande mostra
No circuito internacional de salões do automóvel, um dos maiores, senão o maior, é o de Frankfurt na Alemanha. A cidade, um dos grandes centros automobilísticos do mundo, recebe em anos ímpares a mostra. Neste ano, a IAA (Exposição Internacional do Automóvel, em tradução livre do alemão) chega a 67; edição e, como sempre, promete grandes novidades, como a novíssima Ferrari Portofino. O evento começa no próximo dia 14 e vai até 24 de setembro.




Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação