Leonardo Cavalcanti

Leonardo Cavalcanti

por Leonardo Cavalcanti (interino) » leonardocavalcanti.df@dabr.com.br
postado em 12/09/2017 00:00



Tensão geral no
depoimento de Lula

Parlamentares de diferentes cores partidárias estão atentos ao depoimento do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva a Sérgio Moro, em Curitiba, amanhã. No caso do PT, a percepção é a de que, ao contrário do primeiro encontro cordial entre o magistrado e o petista, em maio, desta vez as reações devem ser ásperas, o que pode acabar com um pedido de prisão. Mesmo considerando que tal atitude não combinaria com o juiz titular da 13; Vara Criminal, os últimos fatos contra Lula tornam o ambiente mais tenso.
O depoimento de Lula ocorre uma semana depois de o ex-ministro Antonio Palocci dizer que o ex-presidente recebeu propina do grupo Odebrecht. No encontro com o juiz, o petista vai responder sobre um esquema intermediado pela empreiteira para a compra de um terreno em São Bernardo (SP). Palocci chegou a citar um ;pacto de sangue; entre Lula e Emílio Odebrecht.
l l l

A bancada do PT no Congresso tem reunião marcada para definir quais parlamentares irão a Curitiba para acompanhar o depoimento de Lula. Além disso, movimentos sociais pretendem fazer um ato político na capital paranaense amanhã. Como ocorreu no primeiro encontro entre o petista e o magistrado, o prédio da Justiça terá acesso restrito e arredores bloqueados.
l l l

A denúncia do Ministério Público do DF contra Lula por corrupção passiva quando ocupava a Presidência apenas piora as coisas para o petista. O ex-presidente começa a acumular pontos negativos, sem grandes reações da militância. Em tempo: para o mesmo dia do depoimento de Lula, está previsto o julgamento do recurso do ex-ministro José Dirceu contra a condenação de Moro, no TRF-4, de Porto Alegre.

Terço
nas mãos

Ao descer do jato da Polícia Federal, ontem, no aeroporto de Brasília, o empresário da JBS Joesley Batista exibia um terço nas mãos. Antes de entrar no hangar da corporação, o delator beijou o objeto religioso. Dentre todas as aparições até agora, a de ontem deixava evidente a tensão no rosto do empresário. A impressão era de que ele sabia que a trama caiu por terra.


Haddad
nas cordas

Ao mesmo tempo que aumentam as chances de Lula
sair da disputa presidencial, correntes do PT bombardeiam o
ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad. Esse grupo é formado por petistas que satelizaram a gestão paulistana, mas não tiveram espaço nas decisões da prefeitura e, agora, temem se isolar com eventual candidatura de Haddad à Presidência.

Te quero, Rio I / O ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Gilberto Kassab (PSD), procurou o prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella (PRB), para saber se Índio da Costa receberá o apoio à candidatura ao governo do estado. Crivella (foto) reafirmou que a candidatura está vinculada à performance de Índio nas pesquisas.

Te quero, Rio II / Embora a candidatura de Crivella seja pouco provável, o prefeito faz jogo duro. Hoje, segundo um integrante do PRB, as chances, de zero a 10, de ele sair da prefeitura para a campanha chegam a quatro. A corrida no Rio é emblemática, pois terá nomes novos, como o do técnico de vôlei Bernardinho e o do presidente do Flamengo, Eduardo Bandeira de Mello.

Pinguela da JBS / No último sábado, o presidente da CPMI da JBS, senador Ataídes de Oliveira (PSDB-TO), encontrou-se com Temer no Jaburu para, segundo o parlamentar, tratar da duplicação da BR-153. Na quinta-feira, os dois estarão juntos novamente na assinatura de um contrato para a construção de uma ponte entre o Pará e Tocantins.

Música / O VIII Circuito Musica Brasilis chega pela primeira vez a Brasília e faz uma homenagem ao diplomata Conde da Barca. A apresentação de hoje, que mistura música clássica com teatro, ocorre às 20h, no CCBB, e conta com Rosana Lanzelotte (pianoforte), Ricardo Kanji (flautas), Marília Vargas (soprano) e o ator Marcos França.

Colaboraram Renato Souza e Natália Lambert

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação