Mulher é morta pelo marido

Mulher é morta pelo marido

Ele cometeu suicídio logo após o crime. Apesar de cumprir medida protetiva por determinação da Justiça e estar proibido de se aproximar da vítima, os dois moravam em andares diferentes da mesma casa, na Candangolândia

ISA STACCIARINI
postado em 12/09/2017 00:00
 (foto: Ana Rayssa/Esp.CB/D.A Press)
(foto: Ana Rayssa/Esp.CB/D.A Press)

Um casamento de 38 anos terminou em tragédia para uma família da Candangolândia. O auxiliar de chancelaria do Ministério das Relações Exteriores Almir Gomes da Silva enforcou a mulher, Elanir Olivia Silva, ambos tinham 58 anos. Depois, o homem tirou a própria vida. Ele gravou toda a cena em um celular encontrado pelos policiais em um tripé. O casal estava em processo de separação conjugal. O caso foi registrado como feminicídio e suicídio na 11; Delegacia de Polícia (Núcleo Bandeirante).


Entre janeiro e junho deste ano, a Secretaria de Segurança Pública e da Paz Social registrou nove casos de feminicídio. Em todo o ano de 2016, foram 19 ocorrências. No episódio mais recente, Elanir havia acionado a Justiça para pedir medida protetiva contra o marido. Impedido de se aproximar da mulher, ele morava no térreo da casa de três andares e a então companheira vivia no primeiro andar. Os acessos eram individualizados.
Por volta das 2h45 de ontem, vizinhos escutaram ao menos cinco gritos abafados. Por saber da situação do casal, moradores da rua ligaram para a filha do casal, de 30 anos, quando amanheceu. Ela foi até a residência dos pais na companhia do marido. Chegou por volta das 9h30, mas encontrou um oficial de justiça e o tio na porta da casa. O oficial havia ido ao local com o irmão de Almir entregar uma intimação de audiência multidisciplinar. Como ninguém atendeu aos chamados, os dois entraram na casa e encontraram os corpos, um em cada cômodo.


No térreo, onde Almir morava, policiais acharam documentos, carteiras, a bolsa de Elenir e chaves de veículos em cima do sofá. Havia também informações por escrito acerca das providências que a filha deveria tomar em relação às finanças do casal. De acordo com a Polícia Civil, tudo leva a crer que o crime foi premeditado pelo autor, mas o delegado-chefe da 11; DP, Robson Cândido, não quis dar detalhes.


Segundo a vizinhança, o casal era reservado. Alguns moradores contaram que a família morava no local há mais de 25 anos. O suspeito era tido como pouco sociável. Já a mulher, era comunicativa quando não estava na companhia do marido. De acordo com a dona de casa Maria de Fátima Ferreira da Silva, 59, que mora na mesma rua há 32 anos, o caso assustou a vizinhança. Ela ouviu os gritos da filha do casal por volta das 9h40. ;Ela pedia por socorro e chamava pela mãe dela;, contou.


Moradora da região há 30 anos, uma advogada que preferiu não se identificar também escutou os gritos da filha do casal. ;Até eu não acredito no que aconteceu. Estou muito abalada. Há dois meses estava saindo com o carro quando eu vi o homem empurrando a mulher para dentro de casa. Ela mal saía, mas conseguia ir à igreja;, relatou.

Perfil da vítima

Elanir Olivia Silva, 58 anos
; Era casada com Almir Gomes da Silva há 38 anos
; O casal tinha uma filha
; Eles estavam em processo de separação conjugal
; Como havia pedido o divórcio, Elanir estava morando no primeiro andar da casa de três pavimentos

Perfil do autor

Almir Gomes da Silva, 58 anos (Não tem foto)
; Trabalhava no Ministério das Relações Exteriores como auxiliar de chancelaria
; Com a separação, morava na parte térrea da casa.
; Tinha restrição de contato com a vítima, que havia pedido medida protetiva
; Um oficial de Justiça tinha ido, na manhã de ontem, à casa onde ele morava entregar uma intimação de audiência multidisciplinar

Memória

Casos de feminicídio em 2017

3 de agosto de 2017
Uma mulher de 23 anos morreu esfaqueada pelo companheiro. O crime aconteceu na Expansão do Setor O, em Ceilândia Norte. Glória Maria dos Santos não resistiu. Após tirar a vida da vítima, o suspeito, Francisco Pereira dos Santos, 27 anos, se entregou à polícia e confessou o crime.

16 de março de 2017
Lesley Francisco de Freitas matou a mulher, Maria Aparecida Ferreira da Silva, e cometeu suicídio em seguida, em Vicente Pires. Segundo a Polícia Civil, o casal estava em fase de separação e o suspeito não aceitava o fim do relacionamento.

15 de janeiro
Poliana Alves de Santana, 27, foi morta pelo marido, Renilson Sousa dos Santos, 28. De acordo com o Corpo de Bombeiros, a vítima sofreu um corte na testa e perfurações no pescoço, no ombro e abaixo da clavícula. Renilson foi levado ao Hospital de Base em estado grave, com uma perfuração profunda no tórax e outra no abdômen.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação