A serviço da comunidade

A serviço da comunidade

Estudantes de instituição de ensino superior particular prestam serviços gratuitos a moradores do Distrito Federal e do Entorno. Em 2016, 74 mil pessoa foram atendidas em clínicas de saúde, centro psicológico e escritório jurídico

Neyrilene Raquel*
postado em 12/09/2017 00:00
 (foto: Ana Rayssa/Esp. CB/D.A Press)
(foto: Ana Rayssa/Esp. CB/D.A Press)

O aprendizado aliado ao papel social do ambiente universitário tem transformado a vida da comunidade que procura serviços gratuitos em uma das instituições particulares de ensino de Brasília. Cerca de 74 mil moradores do DF e do Entorno foram atendidos gratuitamente por estudantes de graduação da Universidade Paulista (Unip) em 2016 em clínicas de saúde, centro psicológico e escritório jurídico. De odontologia a nutrição, passando por enfermagem, psicologia, fisioterapia e direito, a meta é auxiliar aqueles que não podem pagar por esses serviços.


Ildetes Gomes do Nascimento, 65 anos, sofreu um acidente vascular cerebral (AVC) em abril de 2014 e ficou com sequelas no braço e na perna, o que dificultou os movimentos nesses membros. Quando o problema de saúde surgiu, ela trabalhava em uma loja e fazia fisioterapia em casa, graças ao plano de saúde vinculado à empresa. Com a aposentadoria por invalidez, no entanto, ela perdeu o convênio e passou a depender do tratamento na rede pública de saúde, até que encontrou o projeto da instituição de ensino. ;Deixei meu nome na lista de espera e, depois de pouco tempo, fui chamada;, afirma.


A aposentada frequenta a clínica há cerca de dois anos, duas vezes por semana. ;Eu estou muito melhor com a fisioterapia, recuperando meus movimentos. Ando sozinha, faço minhas coisas e não posso parar. Quero evoluir mais;, ressalta. ;O atendimento é excelente, eu me sinto bem, pois todos são pessoas interessadas em ajudar;, completa.


O tratamento dentário oferecido pela clínica odontológica fez a felicidade da estudante de educação física da Universidade de Brasília (UnB) Rayssa Ximenes, 24. Ela não se sentia bem com seu sorriso e decidiu procurar ajuda especializada para a retirado do excesso de gengiva. Por indicação de uma professora, descobriu a clínica da Unip. ;A gengivoplastia em clínica particular é muito cara, e fiquei feliz de poder fazer aqui, sem custo algum;, comemora ela, que passou pelo procedimento na parte superior dos dentes. Rayssa não vê a hora de completar o tratamento, nos dentes inferiores. ;Eu adorei tudo, ficou muito bom e estou com a minha autoestima lá em cima;, enfatiza.

Integração
;O nosso intuito é prestar atendimento gratuito à comunidade, desenvolvendo interação e ajuda à vizinhança;, explica o professor Pedro Paulo de Morais, diretor do câmpus de Brasília da Unip, na 913 Sul. A assistência ao público visa a aplicação, na prática, do que vêm aprendendo os universitários da instituição, supervisionados pelos professores e coordenadores, que auxiliam nos procedimentos e tiram dúvidas. As clínicas fazem parte dos cursos das respectivas especialidades.


Natália Cristina Santos, 23 anos, é estudante do último semestre de odontologia da Unip e participa da clínica de odontologia há mais de três anos. Insegura no início das práticas, ela consegue perceber a evolução. ;No último semestre, mudou muito. Nós acompanhamos os pacientes em todos os aspectos de vida, o que ajuda a nos aproximar deles;, diz. O ensino atrelado à prática é fundamental para cada curso. ;A experiência prática na universidade é muito produtiva, temos que trabalhar em todas as especialidades e atender ao público, o que é um diferencial, além de recuperarmos o sorriso das pessoas;, destaca.

Papel social
A clínica odontológica conta atualmente com 25 professores, que auxiliam os alunos da graduação. Welington Pereira Júnior é professor de endodontia há cinco anos e ressalta a necessidade da extensão, uma das partes do tripé essencial da educação universitária, que conta ainda com ensino e pesquisa. ;Ele é inerente à profissão, e sua ampliação tem um papel importante para o público externo, pois atende pessoas carentes e de nível socioeconômico baixo. Além disso, contribui para o aprendizado do aluno;, relata.
O conhecimento adquirido é visto com bons olhos pelo mercado de trabalho. ;Aprendi a interagir e a conversar melhor com os pacientes. Já saímos com um pé no mercado de trabalho;, observa Fellipy Mendonça de Matos, 23, estudante do 8; semestre de odontologia. O aluno faz uma primeira avaliação do paciente e, em seguida, o professor o avalia, para dar a orientação necessária. No fim do procedimento, ele confere se tudo foi feito corretamente. ;No começo, senti dificuldades por não ter destreza, mas depois, com a prática, eu me aperfeiçoei;, finaliza o estudante.

Para saber mais

Odontologia
Serviços: restaurações, tratamentos
de gengiva e canal. Prótese e
implante têm o custo de R$ 20
relativos aos materiais
Atendimento: de segunda a
sexta-feira, das 8h às 18h
Contato: 2192-7080

Nutrição
Serviço: acompanhamento depois da dieta passada
Atendimento: de segunda a sexta-feira, das 8h às 18h
Contato: 2192-7017

Enfermagem
Serviço: triagem, glicemia capilar, curativos, papanicolau e palestras educativas
Atendimento: de segunda a sexta-feira, das 8h às 20h
Contato: 2192-7018

* Estagiária sob supervisão de Mariana Niederauer

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação