Pela paz no Haiti

Pela paz no Haiti

Por Marcelo Ferreira
postado em 17/09/2017 00:00

Nesta edição, vamos homenagear os 37,5 mil militares participantes das tropas brasileiras que estavam integradas na Missão das Nações Unidas para Estabilização do Haiti (Minustah, sigla em francês). Foram 13 anos de atuação em apoio às Forças de Segurança daquele país.

Há exatos cinco anos, o Correio Braziliense foi convidado pelo Ministério da Defesa brasileiro a fazer uma visita a Porto Príncipe, capital do Haiti, que estava em processo de reconstrução, depois de ser devastada por um terremoto de sete graus na escala Richter, em janeiro de 2010. Para representar o jornal, eu e o repórter Renato Alves fomos convocados.

Ficamos instalados em uma base brasileira na capital. Lá, tivemos a oportunidade de acompanhar e registrar vários momentos das ações dos nossos militares em patrulhas nas áreas com grandes índices de violência ou em ações humanitárias. Era nessa ocasião que os soldados interagiam mais com a população, realizando atividades como brincadeiras e esportes, recuperação de vias públicas, lições de higiene e distribuição de comida e água potável.

Posso dizer, com certeza, que as nossas tropas tiveram uma participação muito importante na construção de um futuro melhor para os haitianos.

Agradecimento a esses nobres militares brasileiros que doaram seu tempo e esforço para ajudar o povo do Haiti a se reerguer.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação