Três mortes no trânsito em um dia

Três mortes no trânsito em um dia

Uma capotagem, uma colisão entre moto e carro e uma batida frontal com um caminhão resultaram nos acidentes fatais ocorridos entre as 5h20 e as 16h20 de ontem

Bruna Lima Especial para o Correio
postado em 07/10/2017 00:00
 (foto: Fotos: CBMDF/Divulgação
)
(foto: Fotos: CBMDF/Divulgação )

Três pessoas morreram ontem em decorrência de acidentes de trânsito em rodovias do Distrito Federal. A primeira ocorrência foi uma capotagem, por volta das 5h20, no Km 34 da BR-020. De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), o veículo vinha de Flores de Goiás (GO), sentido Brasília, quando o motorista do carro perdeu o controle. A vítima morta era um dos passageiros do carro. O condutor e outro homem foram socorridos pelo Corpo de Bombeiros e levados para o Hospital Regional de Planaltina.

Por volta das 12h, uma colisão entre moto e carro, na BR-070, altura da QNO 7, sentido Águas Lindas (GO), matou o motociclista, João de Deus Rebelo Cunha, 63 anos. O motorista do automóvel não se feriu. Segundo o Corpo de Bombeiro, com o choque, a moto parou no acostamento da via e o veículo, no canteiro central, na vala de escoação de águas pluviais.

O último acidente fatal do dia aconteceu às 16h20, na DF 001, Km 13, próximo ao Balão do Itapoã. O CBMDF informou que o carro conduzido por Paulo Fabiano Abreu de Oliveira, 37 anos, bateu de frente com um caminhão. Um terceiro veículo também se envolveu, batendo na traseira do caminhão por não conseguir frear a tempo. Paulo não resistiu ao impacto e morreu no local. Os outros dois motoristas não ficaram feridos.



Ações conjuntas

O número de mortes no trânsito diminuiu este ano. A Secretaria da Segurança Pública e da Paz Social do Distrito Federal (SSP-DF) levantou que, de janeiro a setembro de 2017, foram registrados 189 óbitos, enquanto no mesmo período do ano passado o número foi de 391.

O diretor-geral do Departamento de Trânsito (Detran-DF), Silvaim Fonseca, atribui as reduções às ações conjuntas da autarquia com a SSP-DF e o Departamento de Estradas de Rodagem do Distrito Federal (DER-DF), além da colaboração da Polícia Militar (PMDF) durante as fiscalizações. ;A gente intensificou as nossas operações conjuntas e as fiscalizações também aumentaram. Trabalhamos muito em cima da questão de velocidade, da falta do cinto de segurança, do uso de celular na direção e a do consumo de álcool;, afirmou.

Segundo o Detran-DF, houve um aumento de 70% no número de penalizações para motoristas alcoolizados. Foram 19.348 autuações pela infração do início do ano até o fim de setembro de 2017. No mesmo período do ano passado foram 11.325. ;Mesmo que por medo de ser preso e pelo alto valor da multa, o motorista está começando a mudar o comportamento de dirigir e beber e isso reflete na diminuição dos acidentes;, ressaltou Silvaim.

Além do consumo de álcool aliado à direção, dados do Detran-DF indicam que o excesso de velocidade, e a falta de atenção do motorista (principalmente pelo uso do celular ao volante) são as principais causas dos acidentes.

"Mesmo que por medo de ser preso e pelo alto valor da multa, o motorista está começando a mudar o comportamento de dirigir e beber e isso reflete na diminuição dos acidentes;
Silvaim Fonseca, diretor-geral do Detran-DF


Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação