Cento e vinte e quatro milhões em ação

Cento e vinte e quatro milhões em ação

Brasil pode ter pela primeira vez na Libertadores nove dos 15 clubes de maior torcida do país. Possibilidade anima as últimas rodadas. Perto do hepta, e líder do pelotão que pode virar G-9, Corinthians enfrenta o Atlético-PR

Marcos Paulo Lima
Marcos Paulo Lima
postado em 08/11/2017 00:00




O Brasil pode ter mais da metade da população torcendo pela conquista do principal título de clubes das Américas em 2018. A explosão demográfica depende da seguinte combinação de títulos: Grêmio tri da Liberadores, Flamengo campeão inédito da Sul-Americana e Cruzeiro ; vencedor da Copa do Brasil ; firme e forte no pelotão de elite da Série A. Este cenário, adaptado à classificação atual da Série A, daria ao país nove vagas para a próxima edição do torneio continental. Na prática, os passaportes seriam de Corinthians, Santos, Grêmio, Palmeiras, Cruzeiro, Botafogo, Flamengo, Vasco e São Paulo.

Segundo o ranking de torcidas mais recente, divulgado em dezembro de 2016 pela Paraná Pesquisas, esses nove clubes têm juntos 124 milhões de adeptos, ou seja, 60% da população. De acordo com o último censo do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), somos 206 milhões de habitantes. Dos 12 principais clubes do país, apenas três ficariam fora da próxima Libertadores: Atlético-MG, Fluminense e o Inter.

A 33; rodada do Brasileirão começa hoje com uma sequência rara na classificação. Lembram do extinto Clube dos 13? Doze deles ocupam do 1; ao 13; lugar. A exceção é o Inter, que disputa a Série B. O Bahia é o décimo. Assim, o intruso na lista é o Atlético Paranaense, 11; colocado.

A possibilidade de nove gigantes na Libertadores de 2018 pode ampliar a polêmica acerca da divisão das cotas de tevê nos próximos anos. Abriria claramente uma divisão entre clubes ricos e menos favorecidos. Os mais bem pagos cada vez mais brigando pelo título e vaga para a principal competição continental; e os demais concorrendo por Sul-Americana ou contra o rebaixamento.

É o que observa em entrevista ao Correio Mauro Corrêa, sócio diretor da CSM Golden Goal, empresa especializada em gestão de markting esportivo. ;A tendência natural observada por vários indicadores é que exista um distanciamento cada vez maior dos clubes grandes em relação aos menores do ponto de vista de receita. Começar o ano com R$ 200 ou 300 milhões de déficit orçamentário em relação aos concorrentes diretos é uma desvantagem absurda. Você tem que ser mil vezes melhor na gestão para equiparar a diferença;.

Rodada

A possibilidade de G-9 força a ;amizade; entre arquirrivais. Como o Grêmio ainda está na final da Libertadores e o Flamengo na semi da Sul-Americana, a realidade é G-7. Inimigos na disputa pela estratégica sétima posição, Vasco e Flamengo podem virar ;aliados; após a Série A.

Se o Grêmio for campeão, a conquista rubro-negra na Sul-Americana, em 13 de dezembro, transformaria o G-7 em G-9 e beneficiaria... o Vasco. Ou quem quem sabe o Botafogo. O Glorioso é o sexto colocado com 48 pontos, dois à frente do Flamengo e a três do Vasco.

A secação entre os cariocas continua hoje. O Botafogo entra em campo às 21h contra o Sport, na Ilha do Retiro. O resultado alvinegro pode pilhar Fla e Vasco, que entrarão em campo às 21h45 contra Cruzeiro e Santos na Ilha do Urubu e na Vila, respectivamente.

Em contagem regressiva para o hepta, o Corinthians visita o Atlético-PR às 21h, na Arena da Baixada, embalado pela vitória por 3 x 2 sobre o Palmeiras. O triunfo deixou o Timão seis pontos à frente do Santos. Maior secador do Brasileirão, Renato Gaúcho, profeta da derrocada corintiana, tentará ressuscitar o sonho do Grêmio em Campinas, contra Ponte Preta. O Palmeiras buscará a recuperação diante do Vitória, no Barradão, em Salvador.

Dono da maior sequência de vitórias do momento ; três ;, o São Paulo receberá a Chapecoense amanhã. Atlético-MG e Fluminense, que estão unidos pelo G-9, também só entram em campo nesta quinta-feira.




;A tendência observada por vários indicadores é que haja um distanciamento cada vez maior dos grandes em relação aos menores do ponto de vista da receita;
Mauro Corrêa, diretor da CSM Golden Goal Marketing Esportivo



No campo dos sonhos...


Quem iria para a Liberadores hoje em caso de G-9

; Corinthians

Entraria na fase de grupos como campeão brasileiro (hipótese).

; Santos
Classificado para a fase de grupos como vice-campeão nacional.

; Grêmio
Entraria como campeão da Libertadores de 2017 (hipótese). Logo, abriria uma vaga no Brasileirão.

; Palmeiras

Acesso direto à fase de grupos como quarto colocado na Série A.

; Cruzeiro

Vaga direta na etapa de grupos como campeão da Copa do Brasil. Abre uma vaga no Brasileirão.

; Botafogo
Sexto colocado na Série A, disputaria a Pré-Libertadores.

; Flamengo
Campeão da Sul-Americana (hipótese), teria acesso direto à Libertadores e abriria uma vaga na Série A.

; Vasco

Beneficiado por Grêmio, Flamengo ou Cruzeiro, entraria na Pré-Libertadores

; São Paulo
Beneficiado por Grêmio, Flamengo ou Cruzeiro, entraria na Pré-Libertadores.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação