Tantas palavras

Tantas palavras

Por José Carlos Vieira Esta seção circula de terça a sexta / cartas: SIG, Quadra 2, Lote 340 / CEP 70.610-901
postado em 08/11/2017 00:00
Rainha do cerrado

Sou árvore de raiz profunda,

Primogênita da valentia,

Meus galhos finos e contorcidos

Enfrentam ventos, com galhardia.


Sou rainha gerada no cerrado,

Nascida na seca do inverno,

Crescida no aguaceiro do verão

Pela graça do Padre Eterno.


Vem ser meu ipê da primavera,

A pintar de roxo, rosa, amarelo

Esse amor que já foi quimera.


Acredita na paixão que te revelo.

Liberta-me da maldita espera

E acorrenta-me a ti, elo por elo.

Sandra Fayad

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação