Bombeiro tenta explodir caminhão no Congresso

Bombeiro tenta explodir caminhão no Congresso

Na madrugada de sábado para domingo, 2º sargento da corporação furta caminhão em que trabalhava, dirige em alta velocidade e só é parado depois de os militares atirarem contra os pneus

» Renato Alves » Lucas Vidigal Especial para o Correio
postado em 04/12/2017 00:00
 (foto: MDF/Reprodução)
(foto: MDF/Reprodução)


Terminou o dia preso preventivamente, por ordem de um juiz plantonista, o 2; sargento do Corpo de Bombeiros Fabrício Marcos de Araújo, que furtou um caminhão da corporação em Ceilândia, dirigiu em alta velocidade por 31 quilômetros e só parou após policiais militares atingirem os pneus do veículo, na Esplanada dos Ministérios, em meio a uma intensa perseguição por algumas das principais vias da capital da República.

O crime aconteceu na madrugada de ontem. Ninguém saiu ferido. Mas falta saber a real intenção do motorista e como ele entrou na unidade, pegou a chave e saiu de lá com uma das maiores viaturas, destinada ao combate de grandes incêndios. Nenhum integrante do comando do Corpo de Bombeiros deu entrevista.

As poucas explicações vieram por meio de nota oficial da Secretaria de Segurança Pública, no meio da tarde. Ela deescarta a possibilidade de atentado terrorista antes mesmo do início das investigações por parte da Polícia Civil. A equipe responsável pelo caso começa a trabalhar hoje. Ontem, foi feita apenas a perícia no local onde o caminhão parou.

Combate ao fogo

O que se sabia até o fim da noite era que o 2; sargento do Corpo de Bombeiros tem 44 anos e saiu do 8; Grupamento de Bombeiro Militar, em Ceilândia, na Avenida Hélio Prates, divisa com Taguatinga, pouco depois da 1h de domingo. Ao volante do caminhão ABT 108, com o qual ele trabalha, o militar seguiu pela Hélio Prates em direção à Estrutural.

ABT é a abreviação de Auto-bomba-tanque. O modelo do Corpo de Bombeiros do DF tem capacidade para levar 3.750 litros de água e 250 litros de espuma ; destinada, principalmente, a incêndio em que há risco de choque elétrico. O Correio apurou que o caminhão furtado estava com água, pronto para o combate ao fogo, o que não impediu o militar de circular acima do limite da via.

A perseguição de equipes da Polícia Militar teve início na pista que liga as duas mais populosas cidades do Distrito Federal ao Plano Piloto, onde a velocidade permitida é de 80km/h. Quando o caminhão do Corpo de Bombeiros entrou no Eixo Monumental, o cerco incluiu 15 viaturas da PM e dos Bombeiros. Os policiais disseram ter feito de tudo para conter o bombeiro, naquela altura, menos atirar.

Mas, ao passarem pela Rodoviária do Plano Piloto, na S1, em direção à Praça dos Três Poderes, os militares partiram para o último recurso. Pouco depois da Catedral Metropolitana de Brasília, por volta da 1h50, um deles fez ao menos 10 disparos. Após o motorista perder o controle da direção, o veículo rodou, quase tombou e ficou parado na contramão, ao lado do canteiro central.

Tensão filmada

O cerco e a perseguição foram filmados e narrados por alguns dos envolvidos. Os vídeos, aos quais o Correio teve acesso, mostram a tensão. Os PMs da Rotam e da Patamo, que iniciaram a perseguição na via Estrutural, demonstraram a preocupação de haver um refém no caminhão do Corpo de Bombeiros. Eles só decidiram atirar após constatar que não havia ninguém além do motorista.

Enquanto um policial se assegurava da ausência de civis ou militares na linha de fogo, o outro fazia a mira, com o carro da PM em alta velocidade. Depois de alguns minutos, finalmente, o atirador comemorou o sucesso dos disparos. Tiros acertaram primeiro pneus dianteiros do caminhão. Em seguida, atingiram os de trás. Sem estabilidade, a viatura derrapou e os policiais militares conseguiram deter o bombeiro.

Logo, todos os PMs participantes da perseguição cercaram o caminhão. Ileso, o bombeiro não esboçou qualquer reação. Os PMs o levaram ao 1; Grupamento de Bombeiro Militar, ao lado do Palácio do Planalto. Um major, oficial de plantão na unidade, deu a voz de prisão ao 2; sargento. No momento do crime, a Esplanada estava fechada parcialmente ao trânsito de veículos devido a um evento esportivo marcado para a manhã de domingo.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação