Então, é Natal

Então, é Natal

Na época mais decorada do ano, algumas cidades se transformam para incorporar o clima e a magia. Conheça um pouco mais desses lugares que se vestem de festa

» Lucianna Rodrigues *
postado em 13/12/2017 00:00
 (foto: André Melo-Andrade/Flickr)
(foto: André Melo-Andrade/Flickr)


Dezembro chegou, e com ele, a magia do natal. A época do ano que pulsa fraternidade, boas vibrações e confraternização vem acompanhada por uma decoração única. As cidades se enchem de cores e brilhos, os shopping centers são enfeitados e todos querem celebrar uma das datas mais aguardadas ao longo do ano. O dia 25 de dezembro marca o nascimento de Jesus Cristo e muitos lugares se preparam para esse dia.

Viver o Natal é realmente mágico, para a pedagoga Soraia Abdel. Esta é a época do ano de que mais gosta. ;Eu tenho uma relação de encantamento com o Natal desde sempre. Ruas enfeitadas, árvores e mais árvores natalinas me fazem lembrar da infância e querer cultivar a tradição até hoje. Nesta época, eu costumo decorar minha casa, fazer bolos típicos e usar decorações natalinas, como pratos, toalhas, velas. Moro nos Estados Unidos e aqui temos o costume de decorar a casa dois meses antes do Natal;, conta ela, que sempre se prepara bastante para as comemorações.

Além de desfrutar a tradição em casa, conhecer outros lugares que se vestem de festa nesta época do ano é um costume de Soraia. ;Quando não temos visitas em dezembro, eu costumo conhecer outras cidades que ficam todas decoradas. Um dos lugares que mais me encantaram foi em Norman, uma pequena cidade de Oklahoma, porque foi o meu primeiro contato com a neve e com o Natal fora do Brasil. Mas sem dúvidas o local que mais me emocionou foi Aspen. Lá tudo é mágico e encantador nesse período. Pessoas vestidas com roupa de inverno de épocas passadas, cantando músicas de Natal pelas ruas cobertas de neve, é uma das coisas mais lindas por lá;, lembra ela.


Símbolo divino
  • Desde três mil anos antes de Cristo, civilizações antigas, que habitaram a Europa e a Ásia, consideram a árvore como um símbolo divino. Por isso, cultuavam e realizavam festas ao seu redor como uma maneira de celebrar sua divindade. Essa crença ligava a árvore a entidades mitológicas, e o fato de estar na vertical se refere às raízes fincadas no solo, ou seja, uma aliança entre os céus e a terra.
  • Quando chegava o inverno, os poloneses e depois os alemães tinham o costume de cortar uma parte dos pinheiros e colocar dentro de casa para enfeitar seus lares, muito parecido com o que se tem hoje. A tradição foi evoluindo e tempos depois os pais passaram a colocar presentes para seus filhos embaixo dessas árvores.
  • No século 8, o monge beneditino São Bonifácio decidiu associar o formato triangular do pinheiro à Santíssima Trindade, e suas folhas resistentes, à eternidade de Jesus. Foi assim que, em 1510, nasceu a árvore de Natal, na Letônia.



Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação