Um pastor sob suspeita

Um pastor sob suspeita

Polícia Civil investiga líder religioso de 77 anos denunciado por violentar duas meninas em Luziânia (GO). As vítimas moravam no mesmo condomínio do suspeito e, segundo a apuração, o crime contra uma delas acontecia havia quatro meses

» JÉSSICA EUFRÁSIO* * Estagiária sob supervisão de Guilherme Goulart
postado em 04/01/2018 00:00
 (foto: PC-GO/Divulgação)
(foto: PC-GO/Divulgação)

Um pastor de 77 anos suspeito de abusar sexualmente de crianças foi preso na manhã de ontem, em Luziânia, município goiano distante 60km do DF. A Polícia Civil de Goiás deteve o suspeito 13 dias depois de a Justiça daquele estado emitir um mandado de prisão temporária contra o líder religioso. Ele é investigado por abusar de duas meninas, uma de 11 e outra de 12 anos. As vítimas moravam no mesmo condomínio do acusado.

De acordo com o delegado Maurício Passerini, responsável pelas investigações, para ganhar a confiança e atrair a vítima mais nova, o pastor ofereceu doces e frutas. Após levá-la para a casa onde ele mora com a família, cometia os abusos, que, segundo relatos da garota, aconteciam com frequência havia pelo menos quatro meses. ;Nos relatos, as vítimas comentaram o que ele falava e fazia com elas. São frases absurdas e, infelizmente, esse tipo de crime é muito mais recorrente do que as pessoas imaginam;, afirmou Maurício.

Investigação
Casos de condenação de líderes de religiosos acusados de cometer crimes de abuso sexual são raros (leia Memória) e, segundo o delegado de Luziânia, o suspeito não tinha passagens na polícia. Os investigadores chegaram ao suspeito após a denúncia do padrasto da vítima de 12 anos. A enteada relatou que o pastor teria dito frases obscenas e tentado apalpá-la. Ele, então, começou a observar as atitudes do suspeito e, em 13 de dezembro, após a vítima de 11 anos sair da casa do religioso, o denunciou à Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA) da cidade goiana.

O pastor chegou a ser considerado foragido. ;Após o fato ter vindo à tona, ele deixou o condomínio onde morava. O suspeito alegou que saiu de casa porque foi passar o Natal com parentes, mas, durante as investigações, vimos que ele ainda não tinha voltado, mesmo depois do feriado;, contou Maurício.

Em depoimento, o investigado negou os crimes e alegou que havia se mudado para Planaltina recentemente. A polícia aguarda o resultado dos exames feitos na criança de 11 anos e o depoimento de mais uma testemunha para concluir o inquérito. Em seguida, os relatórios serão enviados à Justiça de Goiás. O suspeito responderá por estupro de vulnerável e pela contravenção penal de importunação ofensiva ao pudor. Ele pode ser condenado a até 15 anos de prisão.



Memória

Pastor condenado

Um dos poucos casos de condenação e cumprimento de pena de religiosos envolvidos em crime sexual no Distrito Federal é o do pastor Téo. Ex-líder de uma igreja de Samambaia, Manoel Teoplício de Souza Ribeiro recebeu a pena em 2011: 50 anos por abuso sexual contra seis meninas, cujas mães eram fiéis. Um juiz considerou a denúncia procedente no caso de cinco garotas. À época, Téo foi encaminhado para o Complexo Penitenciário da Papuda. A polícia o prendeu em 14 de junho de 2011, após seis meses de investigação. Ele era suspeito de abusar de meninas de 5 a 11 anos, entre 2005 e 2010. Téo comandava a igreja em Samambaia fazia 13 anos, era casado havia 30 e tem uma filha.



Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação