Sacudindo a poeira

Sacudindo a poeira

Após quatro anos de recessão, o mercado brasileiro de veículos volta a subir. Com alta na casa dos 10%, o setor conta com a retomada da economia para continuar com números positivos em 2018

» Geison Guedes Especial para o Correio
postado em 04/01/2018 00:00
 (foto: MarcosMichelin/EM/D.A Press - 25/7/07 )
(foto: MarcosMichelin/EM/D.A Press - 25/7/07 )

Como visto nas últimas duas semanas na seção 10+, 2017 foi recheado de lançamentos, a maioria deles de SUVs. A quantidade de utilitários dominando as ruas é tão grande que foi possível fazer uma lista de novidades apenas deles. O segmento é, de longe, o que mais cresce no país ; e no mundo. Mas a boa notícia é que não foi apenas essa categoria que subiu, mas todo o mercado. O ano passado foi de retomada das vendas, após quatro anos de recessão. A expectativa é que 2018 seja tão positivo quanto.

Obviamente, os SUVs foram os grandes responsáveis pelo aumento das vendas em 2017. O segmento representa quase 22% do total. Para se ter uma ideia do crescimento da categoria, no acumulado de janeiro a novembro de 2016, ela representava 17,89% do total. No mesmo período do ano passado, pulou para 21,99%. Um aumento significativo. Segundo a Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave), o setor que detém a maior fatia do bolo é o de hatches compactos (representado, principalmente, pelos três primeiros mais vendidos), com 26,87%. Se mantiver este ritmo, em pouco tempo os utilitários serão os líderes de venda.

Os números finais de 2017 ainda não foram liberados. Mas o acumulado até novembro mostra um ano bem acima das expectativas. No fim do primeiro semestre, a esperança da Fenabrave e da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea) era que o aumento nas vendas ficasse entre 4% e 4,3%. No entanto, o resultado ;final; foi muito mais otimista do que o esperado e deve ficar na casa dos 9% a 9,9%. Para 2018, a expectativa é de um aumento de 10% a 15% em relação ao ano passado.



Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação