Uma pausa para as férias

Uma pausa para as férias

» PAULO DE TARSO LYRA » RODOLFO COSTA
postado em 06/01/2018 00:00


Férias quase coletivas na Esplanada para que os ministros possam estar de volta a tempo de negociar com o Congresso os votos para aprovar a reforma da Previdência. Quase metade dos titulares do primeiro escalão vai tirar folga em janeiro, período em que os parlamentares também estão fora da cidade. Não houve uma ordem expressa nesse sentido, mas o presidente Michel Temer sinalizou que aqueles que quiserem descansar que o façam agora. A partir de fevereiro, as coisas vão esquentar.

No fim de 2017, quando o governo ainda mantinha uma tênue esperança de votar a Previdência antes do recesso parlamentar de dezembro, Temer avisou: ;Não viajem para o exterior. Qualquer viagem dessa natureza precisará ser autorizada diretamente por mim;. A ordem presidencial afetou até mesmo um dos fiéis escudeiros, o ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Moreira Franco. Ele tinha uma viagem marcada para a Alemanha, onde participaria de um evento da Agência Brasileira de Promoção às Exportações (Apex). Teve que cancelar.

No Planalto, o chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha, um dos principais responsáveis pela contagem de votos, descansará por uma semana. O ministro do Esporte, Leonardo Picciani, ficará fora um mês. Responsável por arregimentar votos no PSDB, o ministro das Relações Exteriores, Aloysio Nunes Ferreira, para de trabalhar ainda na primeira quinzena deste mês. Mas só deve deixar a pasta em definitivo para concorrer às eleições no limite máximo para desincompatibilização. ;Mas o cargo é do presidente e ele pode me tirar a hora que quiser;, afirmou Aloysio. O ministro da Agricultura, Blairo Maggi (PP), estará fora de hoje até dia 15. Já o ministro da Integração Nacional, Helder Barbalho (PMDB), iniciou o recesso na segunda-feira e retorna no próximo sábado.

Mas nem todos param de trabalhar neste mês. O ministro dos Transportes, Portos e Aviação Civil, Maurício Quintella (PR), tem duas viagens de entrega de obra previstas só na próxima semana. Assessores admitem que, pela agenda movimentada, não há disponibilidade para tirar férias no momento. Ele é responsável por programas importantes do governo, como o Avançar Parcerias, voltado para a infraestrutura.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação