Brasília debaixo de chuva

Brasília debaixo de chuva

Zona de Convergência do Atlântico Sul deve provocar precipitações intensas no DF até 21 de janeiro. O fim de semana será nublado, com trovoadas isoladas e rajadas de vento. Principais reservatórios seguem com tendência de alta

» BRUNO LIMA Especial para o Correio
postado em 06/01/2018 00:00
 (foto: Arthur Menescal/CB/D.A Press)
(foto: Arthur Menescal/CB/D.A Press)

Depois de vários meses de seca no ano passado, o Distrito Federal enfrenta um período de chuvas intensas pelo menos até 21 de janeiro. As precipitações são provocadas pela Zona de Convergência do Atlântico Sul, que se desloca da região Norte até a Sudeste. A massa de umidade passará pelo Centro-Oeste, o que causará chuva na primeira quinzena do ano. Ontem, o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) emitiu alerta amarelo de ventanias entre 40km/h e 60km/h. Apesar do comunicado, o Corpo de Bombeiros não havia atendido nenhum chamado de emergência até o fechamento desta edição.

A Estação Meteorológica de Brazlândia, próxima à Barragem do Descoberto, registrou ontem 8,4mm de volume de chuva. A do Paranoá, 2,6mm, e a unidade do Gama, 2,4mm. Para hoje e amanhã, a previsão é de trovoadas e pancadas em vários pontos da cidade. Neste sábado, a temperatura não deve passar dos 25;C e a mínima será de 18;C. O céu permanecerá nublado na maior parte do dia, com ventos moderados. No domingo, também há previsão de chuva.

Até quinta-feira, o Inmet havia registrado 21,5mm. Segundo a meteorologista-consultora do órgão Ingrid Peixoto, se o volume permanecer estável, a média histórica de janeiro, de 247,4mm, pode ser superada. ;A possibilidade é de chuvas volumosas, típicas do verão, que, em alguns momentos, podem vir com mais intensidade em algumas localidades. Elas podem vir acompanhadas de descargas elétricas e rajadas de vento. Com a chegada da frente fria e a descida da umidade da região Norte, é provável que aumente o volume de chuvas em todo o DF e no Centro-Oeste;, detalha Ingrid.

Reservatórios
O período chuvoso fez com que o volume dos reservatórios do DF subissem consideravelmente. Responsável por atender mais da metade da população do DF, o nível da Bacia do Descoberto mais do que dobrou em 31 dias, passando de 10% para 33,2%. Apesar de não acompanhar esse ritmo, o sistema Torto/Santa Maria também apresentou melhoras. Após abrir o ano em 30,1%, o volume útil do reservatório localizado no Parque Nacional de Brasília fechou a sexta-feira em 31,1%. Um mês antes, o índice era de 22,7%.

Apesar disso, o brasiliense deve manter a economia de água. O racionamento continua e não tem previsão de fim. ;Todas as possibilidades de chuva são benéficas para os reservatórios e, se confirmarem-se essas precipitações nos próximos 15 dias, teremos a hipótese de as barragens aumentarem ainda mais os níveis;, conclui a meteorologista do Inmet.



Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação