Pelo fim do assédio

Pelo fim do assédio

postado em 09/01/2018 00:00

m protesto feito por soldados americanos contra o assédio e a agressão sexual nas Forças Armadas dos Estados Unidos movimentou ontem os arredores do Pentágono, em Washington. A manifestação, que contou com aproximadamente 20 pessoas, a maioria mulheres sem uniforme, ocorreu em meio a uma campanha contra o assédio e a agressão sexual em que vítimas do mundo inteiro compartilham suas experiências, por meio da hashtag #MeToo.

A violência sexual no interior das Forças Armadas é considerado um grande problema há tempo. Nos últimos quatro anos, foram registradas mais de 20 mil denúncias de abuso sexual dentro das instalações militares americanas. Como muitas vítimas não formalizam a queixa, é provável que o número de casos seja muito maior, assegura um relatório do Pentágono. O documento confirma que muitas mulheres enfrentam represálias após fazerem a denúncia.

Os manifestantes seguraram cartazes nos quais se lia: ;A negação não é uma política;, ;Parem as represálias; e ;#MeTooMilitary;. O porta-voz do Pentágono, o comandante Gary Ross, afirmou que tais fatos ressaltam os ;contínuos esforços para eliminar o assédio e a agressão sexual dos militares;. ;O DoD (Departamento de Defesa) estimula uma denúncia maior das agressões sexuais paa conectar as vítimas com cuidados restaurativos e como meio importante para responsabilizar apropriadamente os agressores;, segundo um comunicado. ;(O Pentágono) Entende que tem uma voz importante na discussão nacional sobre o assédio e o abuso sexual.;

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação