Resíduo do colesterol pode causar metástase

Resíduo do colesterol pode causar metástase

postado em 09/01/2018 00:00


O colesterol alto já foi associado à metástase do câncer de mama, mas médicos e pesquisadores não sabem a causa dessa relação. Um estudo da Universidade de Illinois publicado na revista Nature Communications descobriu que a culpa é de um subproduto do metabolismo dessa gordura. Ele age em células específicas do sistema imunológico de forma a facilitar o espalhamento do tumor em vez de tentar freá-lo. O trabalho também identificou novos alvos farmacêuticos em potencial que poderiam inibir a criação ou, ao menos, a ação desse perigoso resíduo, uma molécula chamada 27HC.

;O câncer de mama impacta cerca de uma em cada oito mulheres. Desenvolvemos boas estratégias para tratamento inicial da doença, mas muitas pacientes terão metástases, quando o câncer de mama se espalha para outros órgãos, e, para esse estágio, realmente não temos tratamentos efetivos;, diz Erik Nelson, professor de fisiologia molecular e integrativa, que liderou o estudo. ;Queremos descobrir o que dirige esse mecanismo e se podemos enfrentá-lo com medicamentos.;

A equipe de Nelson alimentou ratos que tinham tumor de mama com uma dieta rica em colesterol. Os pesquisadores confirmaram que a quantidade alta da gordura aumentou o crescimento e as metástases, descobrindo também que ratos tratados com estatinas ; remédios que baixam os níveis de colesterol ; apresentavam menos espalhamento da doença. Eles, então, foram além, inibindo especificamente a enzima que produz a 27HC durante o metabolismo do colesterol. ;Ao fazer isso, descobrimos um efeito supressor na metástase. Isso sugere que um tratamento medicamentoso que tenha essa enzima como foco pode ser uma terapia efetiva;, afirma Amy Baek, pesquisadora em Illinois e primeira autora do artigo.

Os cientistas também viram uma atividade incomum entre células específicas do sistema imunológico ; certos tipos de neutrófilos e células T ; em locais metastáticos com grande produção de 27HC. ;Normalmente, o sistema imunológico do corpo tem a capacidade de atacar o câncer, mas descobrimos que essa substância trabalha nas células imunes para enganá-las, fazendo que pensem que o câncer não é um problema. A 27HC está enganando o sistema imunológico para ajudar o tumor a se espalhar;, explica Nelson.

Como esse subproduto do metabolismo age por meio do sistema de defesa, e não no câncer de mama diretamente, os pesquisadores acreditam que a descoberta tem ampla aplicabilidade para outros tipos de tumores sólidos. Eles fizeram experimentos com câncer de cólon, pulmão, pâncreas e melanoma e descobriram que a 27HC aumenta as metástases em todos eles, o que sugere que um tratamento que a tenha como alvo pode ser efetivo para múltiplos tumores. ;Esperamos desenvolver uma pequena molécula que iniba a 27HC. Nesse meio tempo, temos bons medicamentos que baixam o colesterol no mercado, as estatinas. Pacientes de câncer em risco para colesterol alto podem querer conversar com seus médicos a respeito.;

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação