Reinaldo Azevedo

Reinaldo Azevedo

O antipetismo e o antilulismo se tornaram uma profissão de vigaristas. E das mais rentáveis

postado em 19/01/2018 00:00
Lula e a hora dos histéricos
A histeria que toma conta da esquerda autoritária e da direita de chanchada com o julgamento, no dia 24, pelo TRF-4, do recurso de Lula tem só uma explicação: ele lidera as pesquisas de intenção de voto para a Presidência. Se o PT e seu líder maior vivessem vicissitudes ao menos semelhantes às de 2016, quem se importaria? Os dois lados estão com medo.

Comecemos pelos ;companheiros;. Embora Lula tenha condições, caso não possa ser candidato, de pôr no segundo turno um ungido seu, é certo que a escolha recairia sobre alguém com um potencial de votos muito menor. Sem o líder máximo, a perda de musculatura do PT no Congresso tende a ser muito maior.

Se o ex-presidente, pessoalmente, demonstra uma espantosa resiliência, o mesmo não se verifica com o partido. Já conversei com pessoas que veem a legenda como ;um bando de ladrões;. Mas seu candidato à Presidência é... Lula! Até porque, emendam, ;ninguém presta mesmo; todo mundo é igual!” E essa é a hora em que o petismo deveria ser grato, apesar de tudo, a Rodrigo Janot, Sergio Moro e Deltan Dallagnol.

A paúra da direita circense decorre do fato de que ela alimentou seus sectários com uma penca de estelionatos políticos, morais e existenciais. O antipetismo e o antilulismo se tornaram uma profissão de vigaristas. E das mais rentáveis. Se Lula vence a eleição, haverá uma horda em busca de emprego ; em alguns casos, do primeiro emprego. A eventual vitória de um petista já lhes seria um desastre considerável.

;Ora, Reinaldo, seria uma tragédia para o país.; Também acho! Mas tanto pior para quem alimentou as forças que, sob o pretexto de combater a corrupção, resolveram atacar fundamentos da própria democracia. Brandindo a bandeira da ;nova política;, chocaram o ovo do velho estatismo bocó, atrasado, reacionário, que é a seiva que alimenta o petismo.

Essa direita não se deu conta de que o discurso contra a política, nas circunstâncias do Brasil, não conduziria ao novo, mas nos devolveria ao velho. Os conservadores brasileiros nunca entenderam Lula e o PT ; tanto é que insistem no suposto caráter bolivariano do partido, o que é uma asnice. O autoritarismo do partido é de outra cepa e convive muito bem com banqueiros, empreiteiros e empresários bem aquinhoados por juros, obras, subsídios e renúncias fiscais.

Os tontos não perceberam que a liquefação da política e dos fundamentos do Estado de direito, promovida pela Lava-Jato, não abriu caminho para o redentor ;outsider do futuro;. O que se fez foi ressuscitar o ;outsider do passado;, em cujo governo, com efeito, milhões de eleitores pobres viveram dias melhores. ;Mas os petistas quebraram o país;. É verdade! Vai lá, então, debater macroeconomia com Sua Excelência o Pobre! Cuidado! Ele tem uma arma: a geladeira microeconômica!

E que se note: se a sentença de Moro for confirmada pelo TRF-4, o tribunal estará dizendo que Lula é o dono não declarado do tal tríplex de Guarujá, fruto de propina, mas, segundo o juiz, não oriunda da Petrobras, embora seja isso a constar da denúncia. Ocorre que a Justiça do Distrito Federal penhorou o imóvel como um bem da OAS. Vale dizer: um mesmo sistema judicial reconhece que o apartamento é e não é de Lula. Hospício ou circo?

Para encerrar: como a capacidade dos ditos ;conservadores; nativos de fazer e dizer besteira não reconhece limites, eles são os primeiros a declarar a ;falência; do nosso sistema político, com o que concordam, é claro, Janio de Freitas (neste espaço), Roberto Barroso (o mais esquerdista dos ministros do Supremo) e, ora vejam, o próprio Lula. Mais uma vez, as agendas da direita e da esquerda se unem contra o Estado de direito. E que resposta dar nesse caso? Ora, o chefão petista já começou a falar em uma nova Constituinte. No fundo do poço, pois, o alçapão.

Lula não foi... ;preso amanhã;. Deixado por conta do eleitor, seria eleito amanhã. A direita xucra está de parabéns. Que obra!

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação