Previdência não é "bicho-papão"

Previdência não é "bicho-papão"

postado em 01/02/2018 00:00
O presidente Michel Temer disse ontem, durante cerimônia de assinatura de contratos de concessão de áreas do pré-sal, que a reforma da Previdência, cujos debates no Congresso começarão em 19 de fevereiro, ;não é um bicho-papão;. Segundo ele, o governo ainda busca o número mínimo de votos para aprovar a matéria.

;Toda vez que se fala em reforma da Previdência, inicialmente há uma resistência. Mas logo depois, quando se faz a revisão previdenciária, as pessoas veem que não é, se me permitem a expressão, nenhum bicho-papão. Na verdade, o que se deu foi para melhorar o país.;

Temer disse ainda que alguns estados já passaram por dificuldades financeiras por conta de sua Previdência Social e que isso serve de exemplo para mostrar a urgência de uma reforma no setor.

;A proposta inicial (de reforma) foi amplamente examinada e ajustada. Enquanto o país discutia a Previdência, a situação em alguns estados se deteriorou, exatamente em função da Previdência. E quase que o Brasil, por isso, se transformou em um estado unitário, porque todos vinham à União para pedir socorro;, disse o presidente. ;Tivemos um vislumbre do que poderá acontecer no Brasil se a Previdência não for consertada. Repito, atraso no pagamento de salários, serviços públicos precários, aposentadorias em risco;, completou Temer.

Enquanto Temer se mostra mais otimista e flexível, já que admite a possibilidade de ;liquidar; a questão até março, o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), que decide quando pautará a matéria, voltou a deixar claro ontem: ;Não dá para carregar isso para além do mês de fevereiro;, avisou. ;Votou em fevereiro, votou. Não votou, será a agenda da eleição.;


Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação