Ameaça de fabricação caseira

Ameaça de fabricação caseira

Por vaga na fase de grupos, Vasco inicia duelo contra o Jorge Wilstermann, hoje, em São Januário. Jogadores brasileiros do time boliviano são a maior preocupação da equipe cruz-maltina

postado em 14/02/2018 00:00
 (foto: Paulo Fernandes/CR Vasco da Gama)
(foto: Paulo Fernandes/CR Vasco da Gama)

Com atenção extra sobre os jogadores brasileiros que defendem o adversário boliviano, o Vasco recebe o Jorge Wilstermann, hoje, em São Januário, no duelo de ida da terceira fase preliminar da Copa Libertadores 2018. A equipe vitoriosa após o jogo de volta, previsto para 21 de fevereiro, ganhará o direito de disputar a etapa de grupos da maior competição de clubes da América do Sul.
O Jorge Wilstermann, equipe da cidade de Cochabamba, terá ao menos dois brasileiros na equipe titular: o atacante Serginho, camisa 10 da equipe e responsável por dois gols na fase anterior contra o Oriente Petrolero; e o zagueiro Alex Silva, ex-São Paulo e Flamengo. O atacante Lucas Gaúcho ficará na reserva.

Além de treinar todos os dias desde sexta-feira, deixando de lado o feriado carnavalesco, o Vasco estuda meticulosamente a equipe boliviana treinada por Álvaro Peña. Atenção com o contra-ataque e neutralizar Serginho são duas das prioridades dos comandados de Zé Ricardo, que analisou os vídeos das últimas atuações do Wilstermann.

O time boliviano passou por um sufoco na fase anterior, eliminando o compatriota Oriente Petrolero graças à vitória por 2 x 1, na ida, em Santa Cruz. Na volta, o duelo terminou empatado em 2 x 2, em Sucre. Na fase anterior, o Vasco derrotou sem piedade os chilenos da Universidad de Concepción, com vitórias por 4 x 0 e 2 x 0.

Mas os cruz-maltinos sabem que cautela é fundamental na Libertadores: hoje, dará apenas início a uma partida de 180 minutos, cujo segundo tempo será disputado na altitude de 2.800 metros de Sucre. ;No jogo de ida, temos que ser perfeitos atrás, buscar o ataque e aproveitar as chances que aparecerem;, comentou o meia Wagner.

Conseguir uma vantagem em casa seria fundamental para poder encarar a altitude boliviana com menos pressão. Para melhorar o desempenho no jogo de volta, o Vasco prevê se concentrar em Santa Cruz de la Sierra nos dias anteriores e viajar para Sucre somente no mesmo dia da partida.

O Vasco, que disputa a Libertadores pela primeira vez desde 2012, precisa evitar o famoso ;salto alto; diante do Wilstermann, que, no ano passado, foi responsável por eliminar outro brasileiro, o Atlético-MG, nas oitavas de final, e que também causou grandes dificuldades ao Palmeiras na fase de grupos. Após eliminar o Galo, a equipe boliviana foi batida nas quartas de final pelo River Plate.
É a primeira vez que o Vasco enfrenta uma equipe boliviana na Libertadores. O vencedor do duelo integrará o grupo 5, no qual estão Cruzeiro, Universidad de Chile e Racing, da Argentina.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação