A doce poesia de Chico César

A doce poesia de Chico César

Lígia Vieira*
postado em 14/02/2018 00:00
 (foto: Arquivo pessoal/Divulgação)
(foto: Arquivo pessoal/Divulgação)


Inspirado pelas poesias do músico Chico César, o duo Gisbranco, formado pelas pianistas Bianca Gismonti e Claudia Castelo Branco, lançou, neste começo de ano, o terceiro álbum da carreira, Pássaros. Nomes como Mônica Salmaso, Maria João, Sergio Santos e Eugenio Dale interpretam as canções do disco. Enquanto os arranjos das 15 faixas receberam ajuda do violoncelista Jaques Morelenbaum, entre outros músicos de renome.

O duo havia realizado outros projetos com Chico César. Ele foi um dos convidados a participar da criação do segundo álbum da dupla, Flor de abril, e ;desde aquele tempo fizemos vários ensaios e ficamos muito amigos. Até hoje trocamos muita informação;, conta Claudia. Quando estavam construindo Pássaros, ;a gente fazia as músicas e mandava para ele ouvir;, relembra.

O processo para a criação do CD foi minucioso. Durante seis anos, a equipe trabalhou por um ano em uma etapa de cada vez. ;Primeiro tivemos que compor os arranjos, depois convidamos os músicos. Passamos um ano ensaiando. Em seguida gravamos a parte instrumental, para depois gravarmos as vozes. Por fim, fizemos as artes. Isso tudo aconteceu em meio a muitas pesquisas;, explica Claudia.


Segundo a musicista, a preparação de Pássaros foi distinta se comparada às outras vezes. ;A gente já tinha o material para fazer o CD, a base das músicas eram as poesias, mas precisávamos transformá-las em canções. Eu e a Bianca nos encontrávamos para as duas construírem juntas os arranjos nos pianos;, relembra.

Além da parceria com grandes nomes da música brasileira, o CD marca um novo momento na trajetória da dupla, que investiu em canções cantadas, diferentemente do que vinha fazendo nos outros projetos, nos quais as faixas instrumentais prevaleciam. ;No nosso primeiro CD ,tivemos uma faixa cantada e duas no outro. Agora todas são;, afirma Claudia.

A parceria entre as pianistas surgiu no Rio de Janeiro, enquanto estavam na faculdade e lá, relembra Claudia, ;sempre tocamos e improvisamos uma ao lado da outra;. Em 2005, estrearam profissionalmente, depois de perceberem que ;tínhamos feito umas cinco, seis músicas em conjunto despretensiosamente. Eram os frutos de nossas improvisações;, conta a artista.

* Estagiária sob a supervisão de Vinicius Nader





Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação