Identificados 15 genes que definem a aparência facial

Identificados 15 genes que definem a aparência facial

postado em 22/02/2018 00:00
 (foto: Olivia Harris/Reuters - 16/9/12 )
(foto: Olivia Harris/Reuters - 16/9/12 )


Um estudo publicado na última edição da revista Nature Genetics identificou 15 genes que determinam a aparência das características faciais. Há tempos se sabe que a ;forma; de cada pessoa é moldada pelo DNA ; graças a isso, é possível reconstituir rostos de personalidades históricas, por exemplo ;, mas ninguém havia apontado as proteínas específicas envolvidas no processo.

;Basicamente, tivemos de procurar pela agulha no palheiro;, diz Seth Weinberg, pesquisador da Universidade de Pittsburgo, e um dos coautores do trabalho. ;No passado, os cientistas selecionavam características específicas, incluindo a distância entre os olhos ou a abertura da boca. Eles, então, procuravam por uma conexão entre essas características e muitos genes. Isso já nos levou a identificar numerosas proteínas, mas, é claro, os resultados eram limitados, pois apenas um pequeno conjunto de feições era selecionado e testado;, explica.

Agora, os cientistas usaram outra abordagem. ;Meus colegas de Pittsburgo e da Universidade de Penn State forneceram um banco de dados de imagens tridimensionais de rostos e o DNA correspondente dessas pessoas. Cada face foi automaticamente subdividida em módulos menores. Depois, examinamos se algumas regiões do DNA combinavam com esses módulos. A técnica possibilitou, pela primeira vez, checar um número sem precedentes de características do rosto;, afirma o principal autor do estudo, Peter Claes, da Universidade de KU Leuven.

Com o método, os cientistas encontraram 15 localizações do genoma responsáveis pelas feições. A equipe de Stanford descobriu que esses locais estão mais ativos quando o rosto se desenvolve no útero. ;Além disso, descobrimos que diferentes variantes genéticas estão associadas a regiões do genoma que influenciam quando, onde e o quanto os genes são expressos;, continua Joanna Wysocka, também pesquisadora de Stanford.

Sete dos 15 genes identificados estão associados ao nariz. Isso vai ajudar principalmente a ciência forense. Como caveiras não contêm qualquer traço dessa parte do rosto, formada apenas por tecido mole e cartilagem, quando é preciso reconstituir a face de um cadáver, é muito difícil imaginar como era o nariz. ;Se for possível extrair DNA dos ossos, ficará bem mais fácil determinar a forma do órgão no futuro;, diz Peter Claes.


Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação